quarta-feira, 1 de maio de 2013

Obra reúne cartas de fã para Patrick Morrissey



Willy Russell reúne cartas nunca entregues de um fã para vocalista da banda The Smiths

Banda considerada a mais importante do cenário musical de rock alternativo, The Smiths alçou sucesso com as composições resultadas da parceria do vocalista Patrick Morrissey, mais conhecido como Morrissey, e do guitarrista Johnny Marr. Mesmo com uma vida curta de atividade musical, -- a banda durou apenas cinco anos (1982-1987) -- o estilo mal humorado e a identidade única na produção das músicas os fez conhecidos mundialmente.

Com o sucesso e reconhecimento, vieram os fãs -- e não foram poucos. Muitos eram os jovens que se identificavam com as letras que expunham a realidade de pessoas comuns, que tinham que lidar com rejeição, dor, desespero, entre outros sentimentos naturais. Atrelado a isso, uma melodia única e movimentada, repleta de acordes e riffs de guitarra que faziam, e ainda fazem, o coração bater acelerado.

O retrato da influência e também alcance da banda na vida dos jovens é descrito com fidelidade na obra de ficção chamada Caro Morrissey..., de Willy Russell, músico e dramaturgo inglês. Lançado originalmente em 2001, com o título The Wrong Boy, a obra relembra as produções musicais do The Smiths que retratam o real da juventude, com todos os seus dissabores e há especulações de que o título vire um seriado da TV inglesa.

“É sempre sensacional quando a gente encontra outro fã do Morrissey. Mesmo que você nunca tenha visto a pessoa, sabe que compartilha alguma coisa importante com ela”

Caro Morrissey é uma reunião de cartas escritas pelo personagem Raymond Marks, jovem esquisito de 19 anos, fã incondicional e que tem como herói o vocalista da banda The Smiths. Marcada por situações bastante constrangedoras, como a que derrubou uma bandeja cheia de comida em cima de um casal de idosos, a obra traz os desabafos, lembranças, desejos e acontecimentos da vida de Raymond.

Acompanhado de seu inseparável caderno de músicas e violão, Raymond sai de casa em busca de um emprego na construção civil e no caminho passa a narrar toda a sua vida em cartas para Morrissey, mesmo que nunca sejam entregues ao músico. Sempre com a mistura do passado e presente, o jovem confidencia tudo o que se passa pela sua cabeça.

“Estou escrevendo ela (carta) num caderno que eu uso pra escrever minhas letras e anotar minhas ideias. Tipo de um diário, acho; mas isso faz parecer que o negócio é mais importante do que é, na verdade. Que seja: é nele que estou escrevendo”

Escrito em primeira pessoa, com uma linguagem simples, direta e de leitura rápida e prática, o título faz do leitor um amigo e o aproxima da realidade vivida pelo personagem. Tal aproximação possibilita colocar-se no lugar de Raymond e relembrar situações parecidas que aconteceram na vida real.

Caro Morrissey... é a oportunidade de adultos e idosos lembrarem-se da juventude, daqueles momentos de vergonha, brincadeira, os tempos de fã, os micos e também sonhos que um dia fizeram parte de suas vidas, mas que foram tomados pela realidade adulta. Já para os jovens de hoje em dia, é uma obra inspiradora e real, que mostra as frustrações e problemas comuns em todo jovem, não importa a época.

Serviço

Editora: Ed. Nossa Cultura
Formato: 15 x 23 cm
Preço: R$ 55,00
Páginas: 364 páginas
ISBN: 978-85-806-6113-2

Nenhum comentário:

Postar um comentário