sexta-feira, 31 de maio de 2013

Um museu para o Ford Modelo A

 

Modelo foi um ícone da propaganda de carros

A Ford comemorou os 86 anos da decisão de produzir o Ford Modelo A, sucessor do emblemático Modelo T. O lançamento do carro, que acaba de ganhar um museu exclusivo nos Estados Unidos, foi marcado também por uma das maiores campanhas publicitárias da história em jornais e cartazes de rua, que levou à encomenda de 727.000 veículos em poucos meses.

Henry Ford aprovou a campanha de lançamento do Modelo A, considerada na história como a mais audaciosa da indústria automobilística em todos os tempos: somente nos Estados Unidos, quase 10 milhões de pessoas viram o carro nas primeiras 36 horas de exposição, em diferentes locais.

A expectativa era grande até a milionária campanha estrear em 2 de dezembro de 1927, em 2.000 jornais dos Estados Unidos, ocupando páginas inteiras durante cinco dias.

Os distribuidores Ford receberam cerca de 4.000 unidades do veículo para propaganda, além de fotos e cartazes. Houve ainda uma campanha itinerante com caminhões transportando o Modelo A. Eles paravam apenas uma hora em cada distribuidor para que os interessados pudessem vê-lo e fazer as encomendas.
Durante o período em que foi produzido, do final de 1927 ao começo de 1932, o Modelo A atingiu quase 5 milhões de unidades.

Missão difícil

A missão do novo veículo era difícil: substituir o ícone Modelo T, que teve 15 milhões de unidades produzidas e levou milhares de pessoas a escrever reclamando do seu fim. Em uma decisão ousada, em 25 de maio de 1927 Henry Ford paralisou suas 44 fábricas em todo o mundo, inclusive a de São Paulo, durante seis meses para a troca do modelo.

Nessa transição, milhares de pequenas ferramentas e aparelhos de precisão foram substituídos e como o novo Ford tinha cerca de 6.800 peças diferentes (o modelo T tinha menos de 5.000) novos fornecedores foram contratados.

Museu Modelo A

O Modelo A acaba de ganhar um museu exclusivo em sua homenagem, inaugurado na cidade de Hickory Corners, a 185 km de Detroit. O prédio, de 1.200 metros quadrados, é a réplica de um distribuidor Ford de 1928, incluindo boxes de serviço e bombas de gasolina – registrando o preço de 18 centavos de dólar por galão.

"O Modelo A é um carro que marcou época", diz Michael Spezia, diretor executivo do Gilmore Car Museum, onde o Museu do Ford Modelo A está instalado. "Foi um automóvel acessível e muito popular, que milhões de pessoas usaram e apreciaram."

Entre as centenas de Modelos A expostos, estão o que Henry Ford dirigiu no final da linha de montagem em 1927 para apresentar ao seu amigo Thomas Edison. Há também um ônibus de 1930 baseado no Modelo A que foi usado para transporte escolar em El Monte, na Califórnia. Outros destaques são um caminhão original do serviço postal e um Modelo A especial com tração dupla utilizado na construção da famosa Barragem de Hoover, no Rio Colorado.

O museu foi construído pela Fundação Ford Modelo A (MAFFI), entidade sem fins lucrativos fundada em 1987 para preservar o veículo e objetos da época, com a colaboração de milhares de fãs. Além de automóveis, ele expõe motores, roupas, objetos, fotos da fábrica, desenhos e materiais de pesquisa.

O Modelo A original, produzido entre 1903 e 1904, foi o primeiro carro da Ford. Os seus sucessores também foram batizados com letras do alfabeto e, depois do Modelo T, Henry Ford decidiu reiniciar a série.

Nenhum comentário:

Postar um comentário