terça-feira, 4 de junho de 2013

Cia. Ballet para Cegos Fernanda Bianchini se apresenta na Virada Sustentável


Apresentação será gratuita no anfiteatro do Parque Villa Lobos, às 15h

A Associação de Ballet para Cegos Fernanda Bianchini, única companhia profissional de ballet para cegos do mundo, se apresentará gratuitamente na Virada Sustentável, no sábado, dia 08/06, às 15h no anfiteatro “Arena”, no parque Villa Lobos.

A apresentação terá cerca de 15 bailarinos, com e sem deficiência visual, que, em cerca de 40 minutos, apresentarão um “divertissiment”, que inclui os estilos clássico, sapateado e musical.

“Não poderíamos deixar de participar de um evento como este, que reforça a conscientização das pessoas e da sociedade sobre vários temas importantes”, diz Fernanda Bianchini, diretora da Cia. de Ballet. “Ficamos felizes em podermos mostrar ao público nossa arte e deixar claro que a deficiência visual não é um limitador quando se tem determinação”, completa.

A associação acumula importantes participações como na cerimônia de encerramento das paralimpíadas de Londres o ano passado, na Reatech e em eventos da prefeitura de São Paulo, por exemplo.

A Virada Sustentável, que acontece de 6 a 9 de junho, é uma grande campanha de educação para a Sustentabilidade com mais de 620 atrações ligadas a arte e cultura, todas gratuitas em mais de 100 pontos da cidade.
  
Cia. ballet para cegos Fernanda Bianchini

 A Associação Ballet de Cegos Fernanda Bianchini, única companhia profissional de ballet para cegos do mundo, existe há 18 anos. Tem como objetivo principal a integração social de deficientes visuais, de baixa renda, através da dança, principalmente do Ballet Clássico.

A entidade é mantida pelo belo trabalho voluntário realizado pela fisioterapeuta Fernanda Bianchini cujo lema é: aprender a ver a dança com o coração. “É um método pioneiro que permite ao deficiente visual aprender dançar ballet de forma graciosa como qualquer outro bailarino. O aprendizado se inicia no toque, o passo é ensinado a cada aluno pelo contato” explica Fernanda.

Inclusão e acessibilidade. Estas são as palavras que diferenciam o ballet: a maioria dos bailarinos é deficiente visual e uma pequena porcentagem com outros tipos de deficiências. Outros poucos bailarinos estão na “inclusão às avessas”, no qual pessoas com nenhuma deficiência participam e interagem. Cerca de 60 bailarinos portadores de deficiência visual são atendidos e mais de 300 bailarinos formados.

Nestes anos ganhou reconhecimento nacional e internacional. Por enquanto, são mais de 100 prêmios em competições e festivais e duas apresentações no exterior. A recente atuação foi no encerramento das paralimpíadas de Londres.

Além da magnitude do projeto, o que chama atenção é o fato da associação ter professores também deficientes visuais. “É uma prova de que não há limites para quem se dedica e acredita”, afirma Fernanda Bianchini. “É maravilhoso ver a alegria de nossos bailarinos em sentirem que podem fazer algo único e especial, superando todos os limites que a sociedade normalmente impõe aos deficientes”, completa.

A Cia. sobrevive das apresentações e arrecadação de recursos junto às empresas e parceiros.
  
Serviço
  
Entrada gratuita
Dia 08/06
Às 15h
Local: Anfiteatro/Arena - Parque Villa Lobos- Av. Prof Fonseca Rodrigues 2001 – Alto de Pinheiros – SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário