terça-feira, 6 de agosto de 2013

Documentário "Orgulho de ser brasileiro" será exibido em São Paulo


Brasileiros em uma narrativa de busca pessoal do diretor do filme pelo sentimento de orgulho de ser do Brasil
  
O filme “Orgulho de Ser Brasileiro”, produzido e dirigido pelo jornalista Adalberto Piotto, será exibido em sessão especial, dia 14 de agosto, às 19 horas, no CineSesc, em São Paulo. A sessão será gratuita com distribuição antecipada de convites na bilheteria do cinema.

 A plateia também será convidada a participar de um debate sobre o filme com o diretor, após exibição do documentário, como tem ocorrido nas estreias internacionais e sessões privativas que já reuniram centenas de expectadores no Brasil, nos Estados Unidos e no Japão.

 "Foi um desejo de provocar uma discussão no país sobre o que é o orgulho de ser brasileiro de uma forma profunda. E para isso tive o privilégio de entrevistados absolutamente comprometidos com a honestidade intelectual, que aceitaram discutir o assunto abertamente", diz o jornalista Adalberto Piotto. O documentário foi todo filmado em 2012, o que fez com que alguns depoimentos ganhassem um ar premonitório às manifestações que levaram milhões às ruas no Brasil em junho deste ano.

Entrevistas com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o artista plástico Romero Britto, o técnico da seleção brasileira na Copa de 94 Carlos Alberto Parreira, a ex-senadora e ministra Marina Silva, o ex-ministro da Saúde Adib Jatene, a geneticista Mayana Zatz, o dramaturgo Gerald Thomas, o jornalista e empresário radicado na Flórida Carlos Borges, os músicos Simoninha e Max de Castro, o filósofo Roberto Romano, a consultora imobiliária em Miami Yara Gouveia, o escritor Ferréz, o bispo católico e ativista social Dom Angélico Bernardino e o consultor e especialista em vinhos Didú Russo se dividem em depoimentos ao longo do documentário questionando o Brasil.

Os entrevistados discorrem sobre o que é ter “orgulho de ser brasileiro”, as causas e motivações para tal sentimento, os altos e baixos da brasilidade.

Com fotografia conceitual que explora vários ângulos dos entrevistados e depoimentos instigantes, o filme é permeado por trechos do hino nacional interpretado por Badi Assad. Em um formato provocativo, promete ir muito além do “Ouviram do Ipiranga” ou do sentimento-padrão de que “o brasileiro é o melhor povo do mundo” a que todos estamos acostumamos. Reitera o que deve ser motivo de orgulho e expõe o que deve ser corrigido.

 Entrevistados

•          Fernando Henrique Cardoso, sociólogo, ex-presidente da República de 1995 a 2002
•          Romero Britto, artista plástico radicado em Miami.
•          Carlos Alberto Parreira, técnico do Brasil campeão na Copa de 1994 e atual coordenador técnico da CBF.
•          Marina Silva, ambientalista, ex-senadora, ex-ministra do Meio Ambiente
•          Gerald Thomas, dramaturgo, autor e escritor radicado em Nova York
•          Roberto Romano, filósofo, professor de Ética Política da UNICAMP
•          MayanaZatz, geneticista, professora do Departamento de Genética da USP, diretor do Centro de Estudos do Genoma Humano.
•          Adib Jatene, médico cirurgião cardíaco, ex-ministro da Saúde (governos Collor e FHC)
•          Ferréz, escritor, autor, morador e presidente de ONG no bairro do Capão Redondo, zona Sul de São Paulo
•          Carlos Borges, jornalista e empresário de eventos com brasileiros em vários países do mundo. Radicado na Flórida, EUA.
•          Simoninha, músico, cantor e compositor.
•          Max de Castro, músico, cantor e compositor.
•          Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau e ativista social
•          Yara Gouveia, consultora em Miami e referência em vendas de imóveis para brasileiros nos EUA. Radicada em Miami.
•          Didú Russo, colunista de vinhos, palestrante, publicitário e blogueiro.
•          Badi Assad, cantora, compositora e intérprete do Hino Nacional Brasileiro no filme.

O projeto e sua contrapartida social

Em uma iniciativa inédita e muito além da exigida em lei, o produtor e diretor do filme Adalberto Piotto passa a distribuir gratuitamente três mil cópias do documentário para escolas, universidades, associações, sindicatos e institutos com o intuito de ampliar o acesso do brasileiro ao cinema e à discussão que o filme propõe sobre a sociedade brasileira e o momento único que vive o país. Um filme acessível para provocar a discussão.

Cópias do filme já foram entregues ao Ministério de Relações Exteriores do Brasil para o acervo das cinematecas dos consulados e embaixadas do país e exibições a brasileiros que vivem no exterior, bem como aos consulados dos Estados Unidos, do Reino Unido e da França. O documentário também deverá ser exibido em escolas e espaços culturais via instituições públicas de Cultura e de Ensino do país.

“Mais que isso, este é um país, dada a sua desigualdade, que não pode abrir mão de contrapartidas efetivas. Uma vez que parte dos custos do filme foi financiada por recursos de renúncia fiscal, o cidadão tem o direito de assistir”, afirma Piotto.

O filme “Orgulho de ser Brasileiro” foi financiado inicialmente pela lei Rouanet, começou a ser produzido em maio de 2012 e em menos de um ano foi lançado no Cine PE e no Focus Brasil EUA, em Fort Lauderdale, ambos em abril deste ano, num tempo recorde de 11 meses.

O documentário exibido em julho, em Hamamatsu, no Japão, já tem outras exibições internacionais previstas para Londres, em setembro, e no Cine Fest de Nova York, em dezembro de 2013.


Serviço

CineSesc
Filme: Orgulho de Ser Brasileiro
Exibição: dia 14 de agosto, às 19 horas
Endereço: R. Augusta, 2075 - Cerqueira César  São Paulo
    








Nenhum comentário:

Postar um comentário