segunda-feira, 18 de maio de 2015

Museu do Futebol inaugura exposição que visibiliza o futebol feminino no Brasil

Primeira Seleção Brasileira (acervo Suzana Cavalheiro)
Em 2015, ano da Copa do Mundo Feminina FIFA no Canadá, o Museu do Futebol - instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, localizado no Estádio do Pacaembu – levanta uma bandeira: dar visibilidade para o futebol feminino. No dia 19 de maio, às 10h, será inaugurada a exposição que inclui no acervo principal a trajetória das mulheres nesse esporte, dentro e fora dos gramados. A entrada será gratuita neste dia. 

“Ouvimos os pedidos do nosso público e superamos uma lacuna do Museu do Futebol. Tornar mais conhecida a história da participação feminina no principal esporte do país visa também colaborar para o reconhecimento das atletas que há muito tempo batalham pelo direito de jogar bola”, diz Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol. 

 Fémina Sport 1921
A exposição tem um formato inédito, com intervenções em todo o Museu. Ao percorrer as salas, o visitante vai descobrindo as novidades, sinalizadas com uma medalha. Esse novo formato tem o intuito de mostrar ao público que as mulheres sempre fizeram parte da trajetória do futebol brasileiro, mas quase nada se conhece sobre o tema.

Parte dos acervos foi garimpada junto às próprias atletas, com as quais se compartilhou a curadoria. Buscou-se o apoio de clubes e centros de memória no Brasil e no exterior. Centenas de fotografias, recortes de jornais e documentos pertencentes aos arquivos pessoais das jogadoras estão sendo digitalizados pelo Centro de Referência do Futebol Brasileiro para integrar os acervos do Museu do Futebol e da UFRGS. 

A primeira intervenção é no Foyer do Estádio, onde serão homenageadas 24 jogadoras da Seleção Brasileira desde 1988 – a primeira formação - até 2015. Na Grande Área, hall de entrada do Museu, estão incluídas reproduções de objetos colecionados pelas atletas, como a primeira medalha da Seleção Brasileira no torneio internacional da China, em 1988. 

Na sala Anjos Barrocos, as jogadoras Marta, eleita cinco vezes a melhor do mundo pela FIFA, e Formiga, há 20 anos na Seleção Brasileira, finalmente entrarão no panteão de ídolos do nosso futebol,  como Pelé e Garrincha. 

Na sala das Origens, será contada a trajetória dos primeiros times femininos no Brasil até a proibição, pelo Estado Novo, a partir de 1941. Reproduções de documentos e fotos do Reino Unido, França e Estados Unidos indicam que as mulheres jogam futebol desde os primórdios do esporte. 

Passarela do Museu do Futebol
A mostra também abre espaço para histórias fora dos campos, como a de Anna Amélia Carneiro de Mendonça, poeta e entusiasta do esporte desde muito antes de seu casamento com o goleiro do Fluminense nos anos 1920, Marcos Carneiro de Mendonça. Ana Amélia publicou o poema “O Salto”, em 1922, introduzindo o tema do futebol na poesia brasileira.

Na sala Dança do Futebol, com roteiro do jornalista e escritor Marcelo Duarte, três vídeos mostram a história dos Clubes e Campeonatos nacionais; o jogo bonito de muitas atletas profissionais e amadoras e as pioneiras no esporte, com destaque a Léa Campos, a primeira árbitra FIFA no mundo. 

Léa desafiou as regras até conseguir autorização do General Médici para apitar um jogo oficial de futebol, no México, em 1971. A mineira será homenageada na cerimônia de abertura da exposição, às 10h do dia 19 de maio e, no mesmo dia, às 14h, gravará sua história de vida para o acervo do Museu.  Os dois eventos são gratuitos e abertos à participação do público. 

Para desenvolvimento desse projeto, a equipe do Museu do Futebol conta com a parceria da Epson, Getty Images Brasil, da Rádio Central 3, do coletivo Guerreiras Project e do Centro de Memória e Esporte da UFRGS. A TV Bandeirantes cedeu as imagens para os vídeos. Um time de especialistas, incluindo a jornalista Luciane Castro, a ex-jogadora e medalhista Juliana Cabral e o técnico René Simões não só colabora com a programação de eventos como levanta com o Museu da bandeira da visibilidade para o futebol feminino.

Para completar o projeto, um site exclusivo traz, a partir de 19 de maio, a agenda de atividades, vídeos, textos e acervos que serão pesquisados até o final do ano. 

O Museu do Futebol espera, com o projeto, contribuir para a ampliação das fontes e registros sobre o futebol feminino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário