segunda-feira, 11 de abril de 2016

Alexandre Nero apresenta show inédito no Teatro Porto Seguro




O ator, compositor, músico, cantor e diretor musical revisita canções que marcaram sua carreira musical

Alexandre Nero mostra sua vertente musical no show Bricabraque no Teatro Porto Seguro. Em tom leve e intimista, o ator, cantor e compositor curitibano constrói uma grande brincadeira com o público, permeada por músicas bem-humoradas.

Bricabraque, título que intenta remeter a "bugigangas, mercado de pulgas, brechó, ferro-velho, antiguidades..." casa com o repertório, uma seleção das principais músicas gravadas em seus CDs (são 8 em sua discografia), em especial, no último, Vendo amor - em suas mais variadas formas, tamanhos e posições e no DVD Revendo amor - com pouco uso quase na caixa. 

"Considero esse show como uma espécie de final da trilogia da qual fazem parte o CD e o DVD. São aquelas coisas antigas, miudezas que estão cheias de poeira ­ algumas são obras de arte, outras desimportantes. Objetos pelos quais a gente tem carinho e coloca para vender ou para trocar, como em um brechó ou uma loja de antiguidades. Essa é a brincadeira do Bricabraque, tirar a poeira de coisas que ficaram guardadas. A gente parte da estética do CD e do DVD, mas só que num formato mais intimista", conta o artista.

Nero divide o palco com Fabio Cardoso (piano) e Val Ofílio (percussão), e toca instrumentos como viola caipira, violão, cavaquinho e uquelele. O roteiro tem canções autorais como Vendo a vista, Paixonite, Lave leve love e Cadê meu jardim?; algumas parcerias como Domingos (Alexandre Nero/Domingos Oliveira), Saia (Alexandre Nero/Thiago Chaves) e Hilário (Alexandre Nero/Luiz Felipe Leprevost), além de releituras para A banda (Chico Buarque de Holanda), Acho (Carlos Careqa) e Não aprendi dizer adeus (Joel Marques).

Para Nero a participação da plateia é fundamental. "O público é o principal responsável pelo espetáculo que assiste, seja uma peça de teatro ou um show de música. A interação comigo, a energia que vem dali é muito importante. Nessa relação não existe eu falando e eles ouvindo, mas sim uma troca entre nós. Essa é a grande maravilha do teatro, estar ali ao vivo, diante de plateia."

Carreira na música, TV e cinema

Alexandre Neroé ator, compositor, músico, cantor e diretor musical. Como músico e ator, acumula 50 trabalhos em espetáculos de música, teatro, cinema, TV e dança. É o idealizador e criador da Associação dos Compositores da Cidade de Curitiba, fundada em 1994. Foi integrante do Grupo Fato, de 1997 a 2007.

Nero foi também um dos vocalistas do grupo Denorex 80, onde se apresentava em turnês mensais interpretando os maiores sucessos dos anos 80. Em 2008, esteve à frente da banda Maquinaíma, grupo de grande sucesso no cenário musical curitibano. No mesmo ano, foi contratado pela Rede Globo

Em 2010, enquanto esteve no ar com a novela Escrito nas estrelas, gravou o CD Vendo amor e o lançou em 2011. Em 2013, estreou o DVD Revendo amor, gravado em Curitiba, entre o intervalo das telenovelas Fina estampa e Salve Jorge.

O ator ganhou repercussão nacional, em 2008, ao interpretar o verdureiro analfabeto Vanderlei em A favorita. Ganhou prestígio e reconhecimento em 2009, no remake da novela Paraíso, na qual interpretava o braço direito de Zeca, vivido por Eriberto Leão.

Em 2010, na novela Escrito nas estrelas, o ator se destacou na pele de Gilmar, o sarcástico e cruel vilão da trama. Em 2011, viu sua popularidade crescer ainda mais no papel do homofóbico motorista Baltazar da novela Fina estampa. Em 2013, voltou a viver Baltazar no cinema, no longa Crô.

Escolha pessoal do novelista Agnaldo Silva, Alexandre Nero viveu seu primeiro protagonista, o Comendador José Alfredo Medeiros, em Império (2013/2014), novela das 21h da TV Globo. Em 2015, o personagem Romero Romulo, seu segundo protagonista, na novela A regra do jogo, deu a Alexandre Nero o reconhecimento da APCA (Associação Paulista e Críticos e Arte), que lhe atribuiu o prêmio de Melhor ator de TV do ano. 

Serviço

ALEXANDRE NERO no show Bricabraque.

Dias 11 e 12 de abril, segunda e terça-feira, às 21h.

Ingressos: R$ 150,00 plateia / Frisas R$ 100,00 / R$ 80,00 balcão.

Classificação: 12 anos.

Duração: 90 minutos.

TEATRO PORTO SEGURO

Al. Barão de Piracicaba, 740 ­ Campos Elíseos ­ São Paulo. 

Telefone (11) 3226.7300.

Bilheteria:Terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.

Capacidade: 508 lugares.

Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto na compra de 1 ingresso + acompanhante.

Formas de pagamento: Todos os cartões de crédito e débito.

Acessibilidade:10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.

Estacionamento no local: Estapar R$ 20,00 (self parking) ­ Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.

Serviço de Vans: TRANSPORTE GRATUITO ESTAÇÃO LUZ ­ TEATRO PORTO SEGURO ­ ESTAÇÃO LUZ. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. COMO PEGAR: Na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/ Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro.



Facebook: facebook.com/teatroporto

Instagram: @teatroporto

3 comentários: