terça-feira, 21 de maio de 2013

Dia 21 de Maio se comemora o “Dia da Cachaça Mineira”



Data foi escolhida por marcar o início da safra da cana-de-açúcar em Minas Gerais

Este ano a cachaça tem muito que comemorar, pois agora deixou de ser “rum” e ganhou status de produto gourmet nos Estados Unidos da América, medida que era aguardada há pelo menos 40 anos.  E também ganhou destaque em eventos como o Festival de Gastronomia Madrid Fusión, ou seja, 2013 é o ano dela: “a brasileiríssima cachaça”!

A cachaça está entre as três bebidas destiladas mais consumidas no mundo e Minas Gerais é o estado que concentra a maior quantidade de produtores de cachaça artesanal.  O estado é o principal centro produtor, tem 8.466 alambiques que produzem 230 milhões de litros por ano.

Entre os rótulos da região que são reconhecidos nacional e internacionalmente está a Cachaça Seleta, que há 40 anos no mercado é um desses produtos que se tornam inesquecíveis ao primeiro contato. Como o próprio nome diz, é feita a partir de canas rigorosamente selecionadas. Envelhecida em tonéis de umburana, planta conhecida por suas características curativas e digestivas, a Seleta tem um sabor potente que a torna perfeita como digestivo.

A qualidade da Seleta é comprovada através do controle realizado através de seus laboratórios dentro da indústria, e ainda uma análise de um laboratório terceirizado. “A Cachaça Seleta conta ainda com uma equipe de 8 provadores que avalia as características sensoriais de cada cachaça e orienta na mistura de cachaças diferentes, ate chegarmos a sabor, cor e aroma do padrão Seleta, permitido assim que cada vez que o nosso consumidor compra uma garrafa de Seleta, ele vai encontrar o produto com as mesmas características”, afirma Ednilson Machado, Diretor Comercial da empresa.

 A colheita de cana ocorre na região centro sul do Brasil dos meses de abril a novembro, a safra da cachaça Seleta ocorre normalmente no período de maio a outubro. “Nesse período tem-se a melhor maturação da cana. Cana mais madura produz melhor cachaça”, declara a engenheira agrônoma da indústria e Diretora-executiva, Cristiane Correa.

Hoje a Seleta é exportada para a China, Estados Unidos, Alemanha, Itália, Uruguai, Portugal, Nova Zelândia e França, e registra a cada semestre um aumento significativo no número de pedidos e contratos de exportação. Quem deu início a toda essa história foi o simpático Antonio Rodrigues, conhecido nacionalmente como o Rei da Cachaça, que afirma ter sido amor ao primeiro gole. “Hoje sou um grande conhecedor do assunto. A cachaça se bebe em todas as situações, na alegria e na tristeza, no nascer e no morrer, por isso, seu grande sucesso entre os consumidores”, diz o produtor.
O segredo do produtor é misturar ingredientes essenciais como matéria-prima de qualidade, dedicação e empenho. Assim, mostra ao mundo, aquilo que nós, brasileiros já sabemos há muito tempo, que a cachaça é um produto singular e com características marcantes.

Além da Cachaça Seleta, existem também mais duas marcas desenvolvidas na mesma fábrica localizada na cidade de Salinas, a Capital Mundial da Cachaça.

Boazinha - Seu nome provém do hábito de seus consumidores de sempre pedirem “aquela boazinha”, no tempo em que ainda era vendida a granel. Os tonéis de envelhecimento de bálsamo conferem à Boazinha uma grande suavidade Graduação Alcoólica 42%. Garrafas transparentes de 670ml e  garrafas de porcelana de 670ml.

Saliboa - Envelhecida em tonéis feitos de ipê-amarelo, árvore símbolo do Brasil, a Saliboa possui uma coloração amarelo-pálido. É a caçula e a mais perfumada das cachaças Seleta. Graduação Alcoólica 45,5% Garrafas de 600ml.

Saiba mais através do site www.cachacaseleta.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário