sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Alpha Lazer visita Beto Carrero World


Por Marcel Agarie

Com o fim do saudoso Playcenter, os paulistanos ficam cada vez com menos opções de grandes parques de diversões para curtir com os amigos algumas horas de adrenalina. Ai você para e pensa: tem o Beto Carrero World, mas é longe pra caraca! Será que vale a pena ir até lá? É isto que o Alpha Lazer foi conferir.

Se você curte viajar, vale a pena. Se você tiver mais 3 amigos que curtem viajar, vale muito mais a pena. A viagem pode ser muito divertida, apesar de longa. Junta uma galera que curte se aventurar na estrada, coloca no carro, racha a gasosa e já economiza muito na viagem. Outra notícia boa, o pedágio da Régis Bittencourt é merreca, ida e volta não dá nem 40 conto de pedágio. 

O ingresso fica na média dos 90 conto. Não, não tem estudante. Porém, nada muito diferente de outros parques do mesmo porte por ai. A dica é dentro do possível, vá no meio da semana, dá pra conhecer o parque todo em um dia tranquilo. Fins de semana, como qualquer outro parque, sempre fica mais cheio.  Hotéis na região, pra ficar de galera, quarto quádruplo, chegamos a encontrar por até 50 conto por pessoa. Nada cinco estrelas, mas acomoda bem só pra dormir, acordar no dia seguinte e zarpar pra rua. O rango no parque há opções pra todos os gostos. Em média você vai gastar uns 40 conto incluso a bebida.

Pô, você tá falando, falando, falando, mas o que tem de bom lá? Vale a pena mesmo viajar até Santa Catarina? Vale! Explico por quatro motivos:

Velozes e Furiosos Show – Ao chegar lá, veja logo o horário do show e fique esperto pra não ficar sem lugar porque é concorrido. Uma apresentação muito doida com carros tunados, velocidade, drift, motos e até um caminhão entra na brincadeira. Joga no YouTube que você consegue ver vários vídeos louuuuuucos! Ao vivo é adrenalina pura o tempo todo!



Star Mountain – Sempre via a propaganda na TV do Beto Carrero e imaginava esta montanha russa que tem um looping em parafuso. Vale a pena conferir e desafiar os amigos pra quem segue o percurso todo sem as mãos. (Ahh, eu consegui!)



Big Tower – Se você curte queda livre e já provou as descidas no Turbo Drop no Play e a torre do Hopi, esta você vai gostar muito mais. A torre é alta. Não, você não está me entendendo. É alta pra caraca! De olhar já dá frio na barriga. Se tiver com diarreia, nem arrisque ir porque vai se borrar todo. Depois que você senta e o banquinho começa a subir, parece que nunca chega ao topo. O jeito é relaxar e curtir a paisagem. Dá pra ver o mar lá de cima, mas, seu tempo é curto. Rapidin, rapidin você já está lá embaixo com seu estômago no cérebro.

FireWhip – É a melhor montanha russa que conheci no Brasil. E olha que já andei no Tornado, Super Jet, na Montanha Russa de Madeira do Hopi Hari, Looping Star e numa tosca e enferrujada na praia de São Vicente, mas deixa esta última pra lá. Vamos falar da FireWhip. Pra quem curte emoção, ela é perfeita. Primeiro porque você vai praticamente pendurado, com as pernocas balançando. Descida alucinante seguida de loopings e giros em parafuso. Muito doido mesmo! Eles filmam toda a descida e na saída dá pra você ver suas expressões de terror! Se tiver uns trocados no bolso, dá até pra levar o vídeo pra casa.

Sai de lá com a alma lavada e com a sensação que é o melhor parque de diversão do Brasil. Então, respondendo a pergunta que fiz lá em cima. Sim, vale a pena o rolê pra conhecer o Beto Carrero World! :D Cupishhhhh (tentei fazer o som do chicote, mas não deu certo :S)

Pra saber direitinho como vai até lá, só acessar o site, tem todas infos por lá: http://www.betocarrero.com.br/


Ops, você acha que não vale a pena? Humm entendi... Arregou! Arregou! Arregou! :D

Nenhum comentário:

Postar um comentário