Pular para o conteúdo principal

"Encerramento do Amor" promove embate entre casal em término de um relacionamento




Montagem brasiliense para o texto do dramaturgo francês Pascal Rambert faz curta temporada no Viga Espaço Cênico

Versão brasiliense da obra Clôture de l'Amour do dramaturgo francês Pascal Rambert, o espetáculo Encerramento do Amor estreia no Viga Espaço Cênico em curta temporada.


Em uma discussão que precede o fim de um relacionamento, apenas uma pessoa fala ininterruptamente, separados apenas por um breve número de sapateado. Dentro de uma grande sala, uma mulher e um homem conversam, é ele que começa o diálogo. Ela escuta, atenta, e lhe responde com um segundo monólogo. Eles evocam sua separação, falam do antes e do agora. Eles têm armas iguais, mas não as utilizam da mesma maneira. Há dois olhares, dois silêncios, dois discursos para dizer sobre a violência de um amor que vive seus últimos suspiros diante do público.

Para o diretor Diego Bressani, o texto foi o foco principal no processo de montagem. “Pesquisamos subsídios que pudessem favorecer esse elemento em sua forma mais essencial, buscando experimentar e colocar em cena só o que julgássemos realmente necessário. Trabalhamos muito com a ideia de uma instalação sonora, em que cada um faz o seu monólogo para encerrar, à sua maneira, aquela relação. A partir daí, outros elementos surgiram da forma mais simples e orgânica possível. Procuramos seguir o texto original à risca e abraçar, à nossa maneira, as propostas por ele sugeridas”, explica. 

O desejo de montar a versão brasileira veio da atriz Ada Luana, que viu na ousadia do texto não somente um grande desafio como intérprete, mas também a potencialidade das relações humanas. O tradutor Marcus Vinícius Borja assistiu o espetáculo em sua estreia na França em 2011. Muito impactado com a obra, surgiu a ideia de montar uma versão brasileira com a atriz, mas a distância impossibilitou a parceria. A peça estreou no Cena Contemporânea 2018 - Festival Internacional de Teatro de Brasília - e passou também pelo Festival do Teatro Brasileiro/Janeiro de Grandes Espetáculos, em Recife. 

Ada convidou, então, o ator João Campos e seus parceiros do grupo S.A.I (Setor de Áreas Isoladas), Diego Bresani e Taís Felippe para realizar a montagem. “Por meio dos caminhos de direção e atuação decidimos expandir a discussão sobre o término de um relacionamento também para as questões de gênero. O abuso emocional nas relações afetivas, a violência psicológica, o machismo, o empoderamento feminino, temas atuais e urgentes. Nesse sentido, creio que há um diálogo direto com o conceito de ‘amor líquido’, do filósofo francês Zygmunt Bauman (1921-2017). 

“A peça não trata, necessariamente, de um amor romântico, no sentido mais clássico e tradicional da palavra. É um retrato atual da humanidade e suas relações afetivas, de gênero. É real, sem filtros, um espelho muito próximo para os espectadores. E muitas vezes incômodo. Levamos à cena um amor em transição, que busca um caminho ao se ver perdido, muitas vezes atropelado pela velocidade e urgências do mundo”, completa João Campos. 

A pesquisa do grupo sobre a obra de Pascal Rambert se debruça sobre o verbo e a escuta como elementos estruturantes na construção da narrativa e condução da expressividade no palco. O formato contemporâneo proposto pela encenação do texto francês remete o espetáculo à uma intensa paisagem sonora. A distância entre os corpos no palco, a limpeza e simplicidade do figurino e cenografia e a iluminação fria reforçam e conduzem o foco da experiência cênica ao trabalho dos atores, ao ato de falar e de ouvir. 

“Não há nada mais universal do que esse sentimento que tanto nos fascina e nos corrói. E o término dessa relação, escrito de forma tão genial por Pascal Rambert, acaba por abarcar diversos outros temas fundamentais para serem debatidos hoje, não só no Brasil, mas no mundo todo: afeto, família, incomunicabilidade, liberdade, violências contra mulher, machismo. Tudo vem à tona quando se decide falar de forma tão visceral sobre o amor”, fala João Campos. 

Encenada pela primeira vez no Festival de Avignon em 2011, a peça recebeu o Grand Prix de Literature Dramatique em 2012, assim como o prêmio de melhor atriz e autor no Palmarés du Théâtre 2013. O texto foi escrito para os atores franceses Audrey Bonnet e Stanislas Nordeye. Após a temporada francesa, surgiram diversas versões da peça com atores de diferentes culturas e línguas. 

Serviço

ENCERRAMENTO DO AMOR 
Temporada: De 24 de janeiro a 2 de fevereiro – Sextas e sábados, 21h. Domingos, 19h. 
Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia entrada). 
Duração: 80 minutos. 
Classificação etária: 14 anos. 
Viga Espaço Cênico – Rua Capote Valente, 1323. 
Capacidade teatro: 73 lugares. Informações: (11) 3801 1843.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Interior mineiro recebe o passeio off-road Suzuki Day

Cidade de Gonçalves será palco do encontro dos Suzukeiros
A cidade turística de Gonçalves, no sul do estado de Minas Gerais, será o próximo destino do passeio off-road Suzuki Day, que levará os participantes por belas trilhas em meio à Serra da Mantiqueira. O passeio não tem restrição de idade e foi criado para que os participantes possam provar e testar seus Suzuki no fora-de-estrada.

“Gonçalves tem ficado cada vez mais conhecida pelas belas paisagens e ótimos serviços de hospedagem e gastronomia. Além disso, as trilhas são bem bacanas para o off-road”, adianta Fernando Julianelli, diretor de marketing da Suzuki Veículos.

Talentos do "School of Rock" participam da São Paulo Oktoberfest 2019

Clássicos do rock agitam agitam a lineup do evento
A terceira edição da São Paulo Oktoberfest anunciou a School of Rock como parceira do evento. Uma parte da música da festa será levada pela escola. O palco Rock será equipado com instrumentos fornecidos pela rede e o lineup contará com nove bandas formadas por alunos School of Rock de 12 a 17 anos e o repertório, é claro, será composto por clássicos do rock nacional e internacional. 

“Esta parceria compartilha um dos conceitos prioritários da São Paulo Oktoberfest, que é o de valorizar o jovem talento por meio de iniciativas que promovam a participação dos estudantes não só como público visitante ou expectador, mas como como verdadeiros atuantes neste evento de grande visibilidade para todo o Brasil”, afirma embaixador da São Paulo Oktoberfest, Walter Cavalheiro Filho. 

Primeira parte da sétima e última aventura da série Harry Potter ganha novos pôrteres

Um dos filmes mais aguardados do ano, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1, ganha novos pôsteres de divulgação. O clima sombrio da épica batalha final entre as forças do bem e do mal é evidenciado nas duas séries especiais de imagens “caught” e “action”.

As frases “Não confie em ninguém” e “Nenhum lugar é seguro” acompanham Harry, Hermione e Ron nas artes. Na série “action” os heróis aparecem isolados em cada um dos pôsteres, machucados e prontos para a batalha em pontos distintos da cidade. Na arte “caught”, Hermione aparece com Harry na primeira imagem e na outra com Ron e o clima de desconfiança é evidenciado.

Os vilões da saga também aparecem prontos para a batalha nos novos pôsteres. Com varinhas em punho, Voldemort e companhia aparecem em imagens ameaçadoras com a inscrição “A caçada começa”.

A Parte 1, com estreia marcada para 19 de novembro, tem início quando Harry, Ron e Hermione saem em uma perigosa missão para encontrar e destruir o segredo da imortalidade e poder…