ChimeraH grava clássico de Natal em versão Heavy Metal



Guarulhenses gravam versão pesada de "Oh Holy Night"para presentear amigos, fãs e parceiros.

Um presente que tivesse identificação com a ocasião e com a banda essa foi a ideia inicial, como explica o baixista Felipe Santos: “Querer presentear pessoas especiais é comum nessa época do ano. Entretanto, poucos podem dedicar seu tempo para literalmente fazer e entregar. Daí a ideia da banda se unir nessa criação.”

“Oh Holy Night” é figura certa em discos de Natal - tradicionalmente lançados por artistas americanos, australianos e ingleses pelo menos uma vez na carreira. A canção é tão antiga e tradicional que não há registros certos sobre quando foi apresentada pela primeira vez, comenta o vocalista Danny Kopecky.  “Existem muitas versões populares dessa música das tradicionais versões de Mariah Carrey, Celine Dion, Il Divo,(Luciano) Pavarotti e (Andrea) Bocelli, até as mais voltadas ao rock como da Avril Lavigne e do Dream Theater (versão acústica). Não há registros certos sobre ela, eles se perderam com o tempo”, diz Kopecky.

O guitarrista Rogerio Oliveira, que também assina a produção da versão, comenta o trabalho que a banda teve de realizar: “Primeiro definimos a escolha, depois a estudamos. A partir dai foram 20 dias de trabalhos instrumentais (base e ensaios) e mais seis dias de gravação. Bateria, baixo, guitarras, violão e vozes, nessa ordem”. Todas as etapas de gravação, mixagem e masterização foram realizadas no estúdio Flight em Guarulhos.

Rogerio comenta que quando surgiu a ideia de gravar, ‘Dingo Bells’ foi de imediato a lembrada pela banda: “O Bruno (Santos –guitarrista) brincou que dava para fazer a versão mais pesada de todos os tempos com Dingobells, mas entendemos que “Oh Holynight” é por demasiado expressiva, então corresponderia melhor nosso objetivo.”

Danny comenta o trabalho especial que organizou para o arranjo vocal: “Emoção e técnica têm que estar conectadas para qualquer um que cante essa música. Minha preocupação foi respeitar a estrutura da letra e seus grandes momentos, não deixando de lado minha identificação”. O vocalista fala ainda da responsabilidade de dar voz à música, “Antes de todos os já citados, vozes como a de Ella Fitzgerald já haviam apresentado sua versão de ‘Oh Holy Night’, então eu precisava corresponder em alto nível, respeitando esse histórico e fazendo dela uma música da ChimeraH”.

A versão estará disponível  na página da banda no Facebook.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Interior mineiro recebe o passeio off-road Suzuki Day

Condomínio Visniec volta para curta temporada no Viga Espaço Cênico

Moacyr Franco volta aos palcos para comemorar 60 anos de carreira