Mostrando postagens com marcador Rodrigo Salim. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Rodrigo Salim. Mostrar todas as postagens

3 de outubro de 2022

Planejamento financeiro pode reduzir o número de famílias endividadas




Principais dívidas são do cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal e prestações de carro e casa

É preciso ser cuidadoso para não fazer novos passivos. Uma boa dica é criar uma planilha de gastos pessoais e mantê-la sempre atualizada

A CNC - Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo apresentou os números de famílias no Brasil que estão endividadas, inadimplentes e aquelas que não têm condições de pagar suas contas atrasadas em agosto.

11 de agosto de 2022

Empresas precisam se adaptar para exigências ambientais, sociais e de governança




ESG vem ganhando cada vez mais força no Brasil e tem feito parte das agendas estratégicas de companhias de diferentes setores

A sigla ESG – Environmental, Social and Governance, que corresponde às práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa, vem ganhando cada vez mais força no Brasil e tem feito parte das agendas estratégicas de companhias de diferentes setores para a tomada de decisões financeiras, de investimentos, entre outras.

Sua origem remonta ao ano de 2004 com a publicação “Who Cares Wins”, que surgiu após uma provocação do Kofi Annan, então secretário-geral da ONU – Organização das Nações Unidas, para 50 CEOs de grandes instituições financeiras, entre elas o Banco do Brasil, sobre como integrar fatores sociais, ambientais e de governança no mercado de capitais.

17 de julho de 2022

Números indicam primeiro semestre histórico para o setor de consórcios




Entre os meses janeiro e maio o crescimento foi de 11,1%

O consórcio tem sido uma boa opção de planejamento financeiro para milhões de brasileiros que buscam o parcelamento integral do bem, a diversidade de prazos para pagamentos, o poder de compra à vista, as possibilidades de obter o crédito por meio de sorteios ou acelerar a contemplação por meio de lances, a oportunidade de formar e ampliar patrimônio e a flexibilidade do uso do crédito.

“Acredito que tudo isso contribui para que o ano de 2022 seja o melhor de todos os tempos para o setor de consórcios. Se em 2021 tivemos recorde de vendas de cotas, os resultados apresentados pela ABAC – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios do acumulado entre os meses janeiro e maio mostram crescimento de 11,1% e confirmam a tendência de novo recorde – ou no mínimo um primeiro semestre histórico”, analisa Rodrigo Salim, especialista financeiro com mais de 15 anos de experiência em empresas do segmento, graduado em Direito pela Universidade Mackenzie e MBA em Gestão Empresarial pelo INSPER/IBMEC.

4 de abril de 2022

Consórcio de imóvel pode ser opção contra o déficit habitacional no Brasil




Modalidade ganha força em razão da alta da Selic, que já supera a marca de 11% ao ano

Estudo do Ministério do Desenvolvimento Regional, realizado pela Fundação João Pinheiro, tendo como base o ano de 2019, mostrou que o déficit habitacional em todo o Brasil está em 5,8 milhões de moradias. A análise vai além e diz que a tendência é que esse déficit aumente nos próximos anos.

Por outro lado, dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança - Abecip mostram que o mercado imobiliário teve um excelente ano em 2021, com os financiamentos atingindo o valor recorde de R$ 205,4 bilhões com 866,3 mil imóveis.

27 de fevereiro de 2022

Consórcio bate recorde de vendas e segue como boa opção de planejamento financeiro




Modalidade de crédito teve cerca de 3,46 milhões de novas adesões durante 2021

Texto: Sérgio Dias
Fotos: Pixabay

O setor de consórcios encerrou 2021 batendo recorde de vendas de cotas, de acordo com a ABAC – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, seguindo como uma ótima opção de planejamento financeiro para milhões de brasileiros. Um dos motivos desse crescimento certamente está na ausência de cobrança de juros, diferente do que ocorre em um financiamento comum.


“As cerca de 3,46 milhões de adesões durante o ano passado, além da possibilidade de escolher entre diferentes opções de valores e prazos, aliado ao poder de negociação de quem tem uma carta de crédito e pode ter melhores condições com pagamento do bem à vista, beneficiam-se do não pagamento de juros através de cobrança de taxa de administração, que é prefixada no momento de adesão e diluída entre todos os meses do plano adquirido”, diz Rodrigo Salim, especialista financeiro com mais de 15 anos de experiência em empresas do segmento, graduado em Direito pela Universidade Mackenzie e MBA em Gestão Empresarial pelo INSPER/IBMEC.

17 de outubro de 2021

A evolução dos serviços de crédito beneficia toda a sociedade




Acesso é necessário em tempos de isolamento social e ociosidade de diversas cadeias de negócios

Recentemente o Banco Central do Brasil divulgou que o crédito ampliado às famílias se situou em R$ 2,7 trilhões no mês de agosto, com crescimentos de 1,8% no mês e 18,2% em doze meses, em função do desempenho dos empréstimos e financiamentos. Especialistas acreditam que a com a elevação da taxa Selic, haverá uma certa desaceleração nos próximos meses. Não em face à demanda, que seguirá alta, mas sim em razão dos riscos inerentes ao concedentes.

“A solução para toda essa dinâmica passa muito pelo aumento da concorrência, por meio de canais não bancários, e do conforto, praticidade e melhor experiência ao solicitante do empréstimo e das opções de garantia de quitação”, diz Rodrigo Salim, especialista financeiro com mais de 15 anos de experiência em empresas do segmento, graduação em Direito pela Universidade Mackenzie e MBA em Gestão Empresarial pelo INSPER/IBMEC.

Ultima Postagem

Cão-guia e a importância do auxílio às pessoas com deficiência visual

Esses pets passam por uma seleção cuidadosa e têm aprendizagem de diversas habilidades essenciais Texto: Sérgio Dias Fotos: Pixabay Na colun...