quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Canal Investigação Discovery estreia Justiça Final


Perito renomado busca evidências para resolver mortes misteriosas
David Wilson (à esq) durante investigação

Mesmo quando um assassino em série recebe condenação à prisão perpétua, a totalidade de seus crimes raramente é revelada -  eles em geral usam táticas evasivas e calculistas para apagar provas sem deixar rastros, mantendo mortes misteriosas em segredo como parte de um ritual doentio.

A série JUSTIÇA FINAL (KILLERS BEHIND BARS), que o Investigação Discovery estreia na quinta-feira, 29 de agosto, às 19h, procura evidências para solucionar assassinatos que, apesar de não resolvidos, trazem indícios de autoria por parte de três criminosos já condenados. Para isso, o criminologista especializado em assassinos em série  e professor da Universidade de Birmingham, David Wilson, utiliza sua experiência no estudo destes crimes reais que provavelmente nunca seriam atribuídos a indivíduos já julgados e condenados.

Na série, Wilson investiga a trajetória de três homens que recentemente receberam sentenças superiores a 100 anos de prisão: Peter Tobin, condenado pela morte de três mulheres, Robert Black, condenado por violentar e matar quatro meninas com idades entre cinco e onze anos, e Steve Wright, o "Estrangulador de Suffolk", condenado pelo assassinato de cinco prostitutas. Com acesso a entrevistas com policiais encarregados das investigações, gravações dos interrogatórios e provas coletadas nas cenas dos crimes, Wilson examina em detalhes os crimes já atribuídos a estes assassinos para, em seguida, traçar os respectivos perfis psicológicos e modus operandi de cada um deles.

Depois, com o auxílio das mais recentes técnicas de análise criminológica, Wilson compara os crimes que tiveram a autoria assumida com outros que ainda não foram resolvidos. O professor encontra-se com peritos em busca de uma análise atenta e completa das mentes criminosas - a grande pergunta é: pode-se aplicar os padrões seguidos pelos assassinos a estes crimes não solucionados? Buscando provas perdidas no tempo, Wilson chega a um resultado claro: cada um dos três leva consigo o segredo de inúmeras mortes misteriosas; pelo menos dez dos crimes levantados foram cometidos por algum deles. Tobin, por exemplo, afirma ter mais de quarenta e oito mortes em seu currículo de crimes.

David Wilson é autor de mais de 15 livros, entre eles “A History of British Serial Killing” (“A História dos Assassinatos em Série na Grã-Bretanha) e é reconhecido como o maior especialista em assassinos em série do Reino Unido.



Nenhum comentário:

Postar um comentário