Mostrando postagens com marcador Capital Inicial. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Capital Inicial. Mostrar todas as postagens

7 de dezembro de 2015

Capital Inicial traz "Acústico NYC" para São Paulo




Pela primeira vez no Brasil, banda brasiliense apresenta as canções de seu mais novo DVD 

Mais de 15 anos se passaram e o sucesso indiscutível do único álbum acústico do Capital Inicial ainda reverbera no coração de seus fãs. 

Como uma ode àquela época, ao rock brasileiro e aos sucessos registrados pela banda de lá para cá, o CD e DVD Acústico NYC traz o quarteto repaginado, em sua melhor forma técnica, tocando suas canções mais recentes de forma desplugada, sem esquecer também os grandes sucessos de sua rica história. O show de estreia desta nova turnê, que leva o nome do CD e DVD, acontece no dia 30 de janeiro, no Citibank Hall, em São Paulo. 

13 de maio de 2013

Paulo Miklos recebe Selton Mello e Capital Inicial



O ator e o grupo participam da estreia do “Paulo Miklos Show” no dia 14

A Mix tv traz muitas atrações em sua nova grade de programação 2013! Nesta terça (14)  é a estreia do “Paulo Miklos Show”, às 22h30. O programa conta com a participação do Capital Inicial, tocando as músicas que marcam a carreira do grupo, e do ator e diretor Selton Mello.

Durante a entrevista com Paulo Miklos, Selton fala sobre a sua trajetória, conta alguns fatos curiosos sobre a vida pessoal e revela detalhes de como enfrenta os desafios profissionais. Além disso, assiste a vídeos e comenta os temas polêmicos da semana e os destaques na web.


Sobre o “Paulo Miklos Show”

Em um talk show divertido, Paulo Miklos recebe, a cada semana, um convidado ilustre para uma conversa descontraída, na qual temas como trajetória, fatos marcantes e planos futuros não podem faltar. A atração conta, ainda, com discussões, propostas por Paulo Miklos, sobre os assuntos que foram destaque na internet e matérias gravadas nas ruas. O convidado participa assistindo e comentando os quadro do programa com o apresentador.

Além do convidado e das matérias externas, o programa traz uma banda tocando, ao vivo, as músicas de seu repertório. “ O Paulo Miklos Show” é o programa que mostra as várias personas de Paulo Miklos: músico, ator e apresentador”, afirma Fernanda Guimarães, diretora de programação da emissora.


Serviço

Programa: Paulo Miklos Show
Apresentador: Paulo Miklos
Estreia Dia: 14 de maio
Horário: terça, às 22h30

7 de maio de 2013

Capital Inicial é atração na Festa Harley-Davidson



A comemoração terá outros shows com Mr. Kurk e Balance Van Halen Cover na Nova Arena Anhembi

Uma agenda com a melhor trilha sonora para embalar os clientes e fãs da Harley-Davidson® foi elaborada para a festa brasileira de celebração dos 110 anos desse ícone do motociclismo mundial, que será realizada no dia 1º de junho (sábado), na Nova Arena Anhembi. A programação especial contará com diversas atrações e shows de rock com várias bandas e começará às 13h na concentração do desfile de motos e seguirá até o começo da madrugada do domingo, 2 de junho, com as perfomances eletrizantes de Mr. Kurk, Balance Van Halen Cover e Capital Inicial, atração principal do evento.

Os primeiros riffes do dia sairão das guitarras da banda Os Credenciados, que é formada por amantes do motociclismo e fará o “esquenta” do desfile de motos, apresentando um tributo aos clássicos do rock internacional, entre eles Creedence e os Beatles. A Fabulous Bandits se apresenta às 16h, após a abertura dos portões, com um vasto repertório composto por hits tradicionais da música country americana e versões de bandas consagradas como AC/DC e Motörhead.

Na sequência, sobe ao palco a impecável Mr. Kurk, liderada por João Kurk, que já se apresentou no Rio Harley Days e no Salão Duas Rodas. A banda irá tocar o melhor do classic rock, estilo musical unânime entre os entusiastas da Harley-Davidson, como Born To Be Wild (Steppenwolf), Burn (Deep Purple) e Highway To Hell (AC/DC).

A atração seguinte é a Balance Van Halen Cover, umas das melhores bandas cover do Van Halen no mundo, segundo o site americano Halen.com. O set list de alto nível será feito pelas músicas mais cultuadas da banda nas fases de Sammy Hagar e de David Lee Roth. O show contará com toda a energia e alto astral do Big Rock habituais das apresentações do grupo.

Encerrando a grande festa de aniversário da marca mais lendária do motociclismo mundial, Capital Inicial liderada por Dinho Ouro Preto vai balançar a Nova Arena Anhembi tocando as músicas que vem marcando a cena no rock’ n roll brasileiro, como O Passageiro, Natasha, A Sua Maneira, Depois da Meia-Noite.

Nos intervalos dos shows, o DJ Rodrigo Branco, da Kiss FM, vai manter o clima da festa com os sucessos do rock’ n roll das décadas de 50, 60, 70 e 80.

Desfile de Motos

Um dos pontos mais aguardados da festa, o desfile de motos, está sendo planejado pela Harley-Davidson em parceria com as autoridades competentes para receber mais de 1.000 motocicletas.

A concentração do desfile de motos será na Nova Arena Anhembi a partir das 13h, com o bom rock’ n roll de Os Credenciados agitando o público, que participará desta atividade. A saída do passeio será às 14h30 com escolta das autoridades policiais e de trânsito por um percurso pelas ruas e avenidas paulistanas.

Durante este período, a entrada na Nova Arena será exclusiva para quem for participar do desfile. O público em geral terá acesso ao local do evento a partir das 15h30 para as demais atrações e atividades.

Atrações da festa

O evento estará a todo vapor desde a abertura dos portões. Logo após a entrada do evento, o Túnel do Tempo trará a história da marca em fotos e vídeos emblemáticos desses 110 anos, uma passagem obrigatória de todos que participarem da comemoração.

Distribuídas pela Nova Arena Anhembi estarão a Área Expo, onde a linha 2013 de motocicletas Harley-Davidson será exibida; a Praça de Alimentação com opções de fast food; e o Espaço H.O.G.® (Harley Owners Group), área vip que será o ponto de encontro dos proprietários de motocicletas da marca que fazem parte desse grupo.

Um show de manobras radicais com a Sportster® XR1200X™ é uma das grandes atrações da tarde. O grupo Motos em Ação promete muita adrenalina e uma demonstração de toda a versatilidade do modelo.

Além de curtir o bom e velho rock’ n roll e as diversas atrações, os amantes do motociclismo terão a oportunidade de adquirir a camiseta oficial da festa por       R$ 80,00, já os membros do H.O.G.® pagam R$ 70,00.

Cerimônia de Agradecimento

A Cerimônia de Agradecimento será o momento de reconhecimento e retribuição da marca aos seus clientes pelo entusiasmo e paixão durante tantos anos.

Bill Davidson, vice-presidente do Museu Harley-Davidson, filho de Willie G. Davidson e bisneto de um dos fundadores da companhia, participará da cerimônia agradecendo a todos por terem colaborado na construção de uma marca lendária e fará uma homenagem a um dos motociclistas que mais representa os princípios e o estilo de vida Harley-Davidson, Capitão Senra, que aos 82 anos continua pilotando e colecionando histórias incríveis como as escoltas do presidente Juscelino Kubitschek e da Rainha Elizabeth.

Ingressos

Os ingressos para a festa estão à venda e os valores são de R$ 150,00 (inteira) e R$ 75,00 (meia-entrada). Os membros do H.O.G.® pagam R$ 75,00 por ingresso e podem comprar até duas entradas por pessoa.

Aposentados e idosos, assim como os estudantes, pagam meia-entrada. As crianças de 0 a 6 anos participam da festa gratuitamente, já os pequenos fãs da marca que tem de 6 a 12 anos pagam R$ 40,00 e acima de 12 anos, com a apresentação da comprovação de estudante, pagam meia-entrada. Importante reforçar que menores de idade devem apresentar documento com foto, RG escolar ou certidão de nascimento e estar acompanhados do pai, mãe ou responsável maior de idade.

As compras podem ser realizadas pelo site do evento (www.hd110anos.com.br) e pelo site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br). As concessionárias Harley-Davidson em todo o País poderão auxiliar os clientes na compra de ingressos pela internet. A lista completa de endereços da rede pode ser consultada em www.harley-davidson.com.br

Serviço

Celebração de Aniversário de 110 anos da Harley-Davidson
Data: 1º de junho de 2013
Horário: 15h30 às 0h30
Local: Nova Arena Anhembi – Avenida Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo/SP
Entrada: Portão 29
Bilheteria no local
Viagem e hospedagem: Tunibra (www.tunibra.com.br).

9 de fevereiro de 2011

CAPITAL INICIAL VOLTA A SÃO PAULO PARA SHOW DO BEM SUCEDIDO ALBUM DAS KAPITAL, NO CREDICARD HALL

Os ingressos para única apresentação da banda já estão disponíveis e podem ser adquiridos em todos os canais de venda da Tickets For Fun

No dia 19 de fevereiro, o Capital Inicial sobe ao palco do Credicard Hall para apresentação única. O show faz parte da turnê Das Kapital, o mais recente trabalho do grupo que é parte da história do rock brasileiro. Os ingressos já estão à venda e podem ser adquiridos pelo telefone 4003-5588, pela internet (www.ticketsforfun.com.br) nos pontos de vendas espalhados pelo Brasil e na bilheteria do Credicard Hall (Av. das Nações Unidas, 17.955) das 12h às 20h. A realização é da TIME FOR FUN.


O novo palco tem concepção assinada por Césio Lima, o mesmo que há anos dá vida aos cenários de Roberto Carlos e outros grandes nomes da música nacional, e investe em uma experiência audiovisual. Serão ao todo 19 telas de diferentes tamanhos e formatos espalhados em profundidade pelo palco. Seu conteúdo é pautado por temas do novo álbum, mas também há espaço para produção dos fãs do Capital, que poderão enviar vídeos via site da banda para exibição durante os shows. Isso tudo completado por uma estrutura única de som e luz.


O 12º disco de estúdio do Capital Inicial, este Das Kapital, é o segundo nascimento do grupo em 28 anos de carreira. E, quais rebeldes incorrigíveis, a cada nascimento ousam mais. Na volta aos estúdios, decidiram que em time que está ganhando se mexe, sim. Trocaram cenógrafo, conceito de palco (saiu o retrô e entrou o high-tech), diretor de videoclipes, parceiros e, principalmente, o produtor. Marcelo Sussekind, que trabalhava com eles desde que se conheciam por banda, dá lugar a David Corcos, que já produziu de Marcelo D2 a Seu Jorge.


O resultado foi uma abertura inédita de espectro dentro do estilo próprio que o Capital Inicial criou na discografia do grupo. Tem remissão a punk 77 e rock anos 00 norte-americano (“Ressurreição”), power pop com ênfase no pop (“Depois da Meia-Noite”), rock dançante inglês contemporâneo (“Como se Sente”), baladas de piano (“Eu Quero Ser Como Você”), power pop com ênfase no power e acordes abertos e maiores (“A Menina que Não Tem Nada”) e até climão de rock de arena (“Vivendo e Aprendendo”).


O ingrediente subtraído na receita é simples – aquela sonoridade de vocais altos e instrumentos comprimidos do Bê-rock, formulado na explosão do gênero por aqui. O trabalho ganha em frescor. E coesão.


E o passo além, desta vez, após o recesso da banda com a internação e recuperação de Dinho, veio em toda a equipe e conceito, conforme relatado, mas principalmente no som. Ou nas nuances. Das Kapital é um disco com mais brilho, com suor mais evidente, por vezes com chimbau aberto e pé no retorno, em outras, com marcação dramática em piano. Na equação, algo de que o grupo se orgulha mesmo – a manutenção do estilo próprio.


“Variedade (de gêneros) não significa talento. Bandas que amo, como AC/DC e Ramones, fazem e fizeram a mesma coisa sempre. Mas tem um rock dos anos 70, do qual bebi muito, de Led Zeppelin, Deep Purple, com essa característica de variedade na composição. Led Zeppelin fez até reggae (‘D´yer Mak´er’)”, narra Dinho. “Mas existe um ponto que nos é muito valioso, o de ter atingido uma sonoridade própria. Antes mesmo de ouvir o vocal, você já sabe que é o Capital Inicial”, completa o vocalista.


Sobre o título do disco, referência a obra O Capital, de Karl Marx, Dinho explica que “reunir o nome Capital Inicial com o título do mais importante livro de Karl Marx e, ainda por cima, fazer as fotos da capa na Bolsa de Valores nos pareceu uma piada irresistível. Uma coisa mais pra Groucho do que pra Karl... Mas, embora o humor tenha servido de inspiração, a combinação entre o título, nosso nome e a foto serve também de pretexto para uma pequena discussão sobre valores”.


E ainda há uma canção com aquela sonoridade de cordas de aço (“Não Sei Porquê”), um rock pesadão com cavalgada quase metal de guitarra (“Melhor”), a música mais longa (3m52s) e climática do trabalho (“Eu Sei Quem Eu Sou”), um aclive em peso e vocal agressivo (“Marte em Capricórnio”) e um arremate com introdução bem marcada.


O Capital Inicial é Dinho Ouro Preto (voz), Yves Passarell (guitarra), Fê Lemos (bateria) e Flávio Lemos (baixo). No palco, os jovens músicos Robledo Silva (teclados, violão) e Fabiano Carelli (guitarra e violão) surgem no apoio sonoro.


Serviço Capital Inicial – Credicard Hall

Realização: TIME FOR FUN

Local: Credicard Hall – Av. das Nações Unidas, 17.955 – Santo Amaro

Site: www.t4f.com.br

Telefones para informações: 4003-6464

Venda a grupos: (11) 2846-6166 / 6232

Única apresentação dia 19 de fevereiro (sábado)

Horário: 22 horas


12 de janeiro de 2011

CAPITAL INICIAL VOLTA A SÃO PAULO PARA O SHOW DO BEM SUCEDIDO ÁLBUM DAS KAPITAL, NO CREDICARD HALL

Os ingressos para única apresentação da banda já estão disponíveis e podem ser adquiridos em todos os canais de venda da Tickets For Fun.

No dia 19 de fevereiro, o Capital Inicial sobe ao palco do Credicard Hall para apresentação única. O show faz parte da turnê Das Kapital, o mais recente trabalho do grupo que é parte da história do rock brasileiro. Os ingressos já estão a venda e podem ser adquiridos pelo telefone 4003-5588, pela internet (www.ticketsforfun.com.br), nos pontos de vendas espalhados pelo Brasil e na bilheteria do Credicard Hall (Av. das Nações Unidas, 17.955) das 12h às 20h. A realização é da TIME FOR FUN.

O novo palco tem concepção assinada por Césio Lima, o mesmo que há anos dá vida aos cenários de Roberto Carlos e outros grandes nomes da música nacional, e investe em uma experiência audiovisual. Serão ao todo 19 telas de diferentes tamanhos e formatos espalhados em profundidade pelo palco. Seu conteúdo é pautado por temas do novo álbum, mas também há espaço para produção dos fãs do Capital, que poderão enviar vídeos via site da banda para exibição durante os shows. Isso tudo completado por uma estrutura única de som e luz.

O 12º disco de estúdio do Capital Inicial, este Das Kapital, é o segundo nascimento do grupo em 28 anos de carreira. E, quais rebeldes incorrigíveis, a cada nascimento ousam mais. Na volta aos estúdios, decidiram que em time que está ganhando se mexe, sim. Trocaram cenógrafo, conceito de palco (saiu o retrô e entrou o high-tech), diretor de videoclipes, parceiros e, principalmente, o produtor. Marcelo Sussekind, que trabalhava com eles desde que se conheciam por banda, dá lugar a David Corcos, que já produziu de Marcelo D2 a Seu Jorge.

O resultado foi uma abertura inédita de espectro dentro do estilo próprio que o Capital Inicial criou na discografia do grupo. Tem remissão a punk 77 e rock anos 00 norte-americano ("Ressurreição"), power pop com ênfase no pop ("Depois da Meia-Noite"), rock dançante inglês contemporâneo ("Como se Sente"), baladas de piano ("Eu Quero Ser Como Você"), power pop com ênfase no power e acordes abertos e maiores ("A Menina que Não Tem Nada") e até climão de rock de arena ("Vivendo e Aprendendo").

O ingrediente subtraído na receita é simples - aquela sonoridade de vocais altos e instrumentos comprimidos do Bê-rock, formulado na explosão do gênero por aqui. O trabalho ganha em frescor. E coesão.

E o passo além, desta vez, após o recesso da banda com a internação e recuperação de Dinho, veio em toda a equipe e conceito, conforme relatado, mas principalmente no som. Ou nas nuances. Das Kapital é um disco com mais brilho, com suor mais evidente, por vezes com chimbau aberto e pé no retorno, em outras, com marcação dramática em piano. Na equação, algo de que o grupo se orgulha mesmo - a manutenção do estilo próprio.

"Variedade (de gêneros) não significa talento. Bandas que amo, como AC/DC e Ramones, fazem e fizeram a mesma coisa sempre. Mas tem um rock dos anos 70, do qual bebi muito, de Led Zeppelin, Deep Purple, com essa característica de variedade na composição. Led Zeppelin fez até reggae ('D´yer Mak´er')", narra Dinho. "Mas existe um ponto que nos é muito valioso, o de ter atingido uma sonoridade própria. Antes mesmo de ouvir o vocal, você já sabe que é o Capital Inicial", completa o vocalista.

Sobre o título do disco, referência a obra O Capital, de Karl Marx, Dinho explica que "reunir o nome Capital Inicial com o título do mais importante livro de Karl Marx e, ainda por cima, fazer as fotos da capa na Bolsa de Valores nos pareceu uma piada irresistível. Uma coisa mais pra Groucho do que pra Karl... Mas, embora o humor tenha servido de inspiração, a combinação entre o título, nosso nome e a foto serve também de pretexto para uma pequena discussão sobre valores".

E ainda há uma canção com aquela sonoridade de cordas de aço ("Não Sei Porquê"), um rock pesadão com cavalgada quase metal de guitarra ("Melhor"), a música mais longa (3m52s) e climática do trabalho ("Eu Sei Quem Eu Sou"), um aclive em peso e vocal agressivo ("Marte em Capricórnio") e um arremate com introdução bem marcada.

O Capital Inicial é Dinho Ouro Preto (voz), Yves Passarell (guitarra), Fê Lemos (bateria) e Flávio Lemos (baixo). No palco, os jovens músicos Robledo Silva (teclados, violão) e Fabiano Carelli (guitarra e violão) surgem no apoio sonoro.

Serviço Capital Inicial - Credicard Hall
Realização: TIME FOR FUN
Local: Credicard Hall - Av. das Nações Unidas, 17.955 - Santo Amaro
Telefones para informações: 4003-6464
Venda a grupos: (11) 2846-6166 / 6232
Única apresentação dia 19 de fevereiro (sábado)
Horário: 22 horas

18 de novembro de 2010

Rock in Rio anuncia programação do “Dia Rock”, que trará Red Hot Chili Peppers

Consagrado no mundo inteiro como um dos mais importantes grupos da história do rock ’n’ roll, o Red Hot Chili Peppers será a grande atração do “Dia Rock” do Rock in Rio, que, após quatro edições em Lisboa e duas em Madri, voltará a ser realizado em terras brasileiras de 23 de setembro a 2 de outubro de 2011.

Os americanos assumirão o comando do Palco Mundo, na nova Cidade do Rock, no dia 24 de setembro, segunda noite do evento, e dividirão a tarefa de representar o rock com a banda britânica Snow Patrol e a brasileira Capital Inicial, entre outros nomes a serem anunciados nos próximos meses. A partir da próxima sexta, dia 19, o primeiro lote de ingressos estará à venda por meio do site oficial do festival.

Formado em 1983, o Red Hot Chili Peppers entrou para a história do rock ao misturar punk, funk e psicodelia. A vinda do grupo californiano que já vendeu mais de 50 milhões de discos garante um show antológico por pelo menos dois motivos: além de marcar o seu retorno ao festival que, em 2001, reuniu na Cidade do Rock o maior público de sua carreira ― foram 250 mil pessoas, também o recorde de todos os Rock in Rio ―, o Red Hot Chili Peppers estará de volta aos palcos após um hiato de quatro anos.

Do outro lado do Atlântico vêm os escoceses e irlandeses do Snow Patrol. Formada em 1994, a banda ficou conhecida internacionalmente com hits como “Run”, do terceiro álbum, Final Straw (2004), e “Open Your Eyes” e “Chasing Cars”, do quarto, Eyes Open (2006). A última conquistou o título de música mais tocada da primeira década dos anos 2000 no Reino Unido segundo a empresa de licenciamento PPL. Entre os planos para 2011 está o lançamento de um novo disco, que irá suceder A Hundred Million Suns (2008).

Para representar o rock brasileiro, a produção do Rock in Rio escalou o Capital Inicial. Com quase 30 anos de estrada, o Capital tem um público formado tanto pela geração que acompanhou a sua gênese quanto por jovens que ainda nem sonhavam em nascer no início dos anos 1980, quando a banda surgiu em Brasília a partir da dissolução do Aborto Elétrico, que originaria ainda o Legião Urbana. A apresentação coroa o ótimo relacionamento entre o Rock in Rio e o Capital Inicial, que participou das segunda (1991) e terceira (2001) edições brasileiras do evento.

A divulgação de atrações de peso como Red Hot Chili Peppers, Snow Patrol e Capital Inicial com quase um ano de antecedência deixa a certeza de que este Rock in Rio reunirá mais uma vez os maiores nomes do rock e do pop mundial ― nacionais e estrangeiros, clássicos e contemporâneos ―, oferecendo ao público brasileiro uma prévia do que será o retorno ao Rio de Janeiro do maior evento de entretenimento e música do planeta.

Ainda nos próximos meses a produção do festival anunciará os nomes nacionais e internacionais que se apresentarão na mesma data no Palco Sunset. A confirmação dos três nomes acontece logo após o anúncio da programação do “Dia Metal”, que contará com Metallica, Sepultura e Angra.

A partir da próxima sexta, dia 19, o público poderá adquirir por meio do site oficial do festival o Rock in Rio Card, uma espécie de voucher para aqueles que não querem perder a chance de garantir com antecedência seus lugares nesta grande festa. A organização disponibilizará um lote limitado de ingressos a R$ 190 (inteira) e R$ 95 (meia-entrada).

Depois de anunciada a programação completa, os que adquiriram o ingresso terão a possibilidade de escolher a data de sua preferência para ir ao Rock in Rio. A troca pelo bilhete será feita a partir do dia 11 de janeiro — antes da venda oficial, garantindo que a data escolhida não esteja esgotada.

24 de setembro de 2010

Hoje Capital Inicial sobe ao palco do Telefonica Sonidos – Festival Mundo Latino


Hoje, dia 24 de setembro, o Capital Inicial sobe ao palco do Telefonica Sonidos – Festival Mundo Latino, que acontece no Jockey Club de São Paulo e reunirá artistas e bandas de países latino-americanos. Dando o tom do evento, a banda brasileira recebe os espanhóis do El Canto Del Loco para um show especial.

O Capital Inicial inaugurou uma nova fase em sua carreira com Das Kapital, o mais recente trabalho do grupo que se confunde com a história do rock brasileiro. O novo palco tem concepção assinada por Césio Lima, o mesmo que há anos dá vida aos cenários de Roberto Carlos e outros grandes nomes da música nacional, e investe em uma experiência audiovisual. São ao todo 19 telas de diferentes tamanhos e formatos espalhados em profundidade pelo palco. Seu conteúdo é pautado por temas do novo álbum, mas também há espaço para produção dos fãs do Capital, que poderão enviar vídeos via site da banda para exibição durante os shows. Isso tudo completado por uma estrutura única de som e luz.

O 12º disco de estúdio do Capital Inicial, este Das Kapital, é o segundo nascimento do grupo em 28 anos de carreira. E, quais rebeldes incorrigíveis, a cada nascimento ousam mais. Na volta aos estúdios, decidiram que trabalhar com David Corcos, que já produziu de Marcelo D2 a Seu Jorge. O resultado foi uma abertura inédita de espectro dentro do estilo próprio que o Capital Inicial criou na discografia do grupo. Tem remissão a punk 77 e rock anos 00 norte-americano (“Ressurreição”), power pop com ênfase no pop (“Depois da Meia-Noite”), rock dançante inglês contemporâneo (“Como se Sente”), baladas de piano (“Eu Quero Ser Como Você”), power pop com ênfase no power e acordes abertos e maiores (“A Menina que Não Tem Nada”) e até climão de rock de arena (“Vivendo e Aprendendo”).

El Canto Del Loco foi formado em Madri há dez anos. Fãs de Radio Futura, eles se inspiraram em uma música dessa banda, “El canto del gallo”, para chegar ao seu nome. Canções de ritmo forte e letras provocativas marcam o estilo de El Canto Del Loco (ECDL), que, após conquistar a juventude espanhola, atravessou o Atlântico, para concorridos shows em diferentes países da América Latina. Com cinco álbuns de estúdio, mais três discos ao vivo e duas coletâneas, o ECDL foi premiado duas vezes no MTV Europe Music Awards como o melhor artista espanhol. Em 2009, no CD/DVD “Radio La Colifata presenta: El Canto del Loco”, o grupo regravou num estúdio em Buenos Aires 19 de seus sucessos, alguns com participações de convidados, como Alejandro Sanz, Leiva e Vicentico, e lanço u uma canção inédita, “Quiero aprender de ti”.


A estreia do El Canto Del Loco em terras brasileiras vem respaldada pelo lançamento do CD que leva seu nome. O álbum conta com uma série de participações de artistas brasileiros. Dinho Ouro Preto é um deles, que divide o refrão de “Canciones“ com Dani Martín, vocalista da banda madrilenha.

A programação do Telefonica Sonidos – Festival Mundo Latino se espalha até o dia 25 de setembro e contempla do jazz ao rock, da MPB ao rap.

Detalhes em http://telefonicasonidos.com.br.

Ultima Postagem

Abarth Fastback e o delicioso ronco esportivo do motor

Comemoramos os 75 anos da marca avaliando o modelo que tem motorização turbo com 185 cavalos de potência Texto: Sérgio Dias Fotos: Sérgio Di...