Campanha AACD Teleton 2021

Cursos Mecânica Online

Mostrando postagens com marcador dança. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador dança. Mostrar todas as postagens

16 de dezembro de 2014

IX Encontro de Músicas e Danças do Mundo acontece em Imbassaí, na Bahia


Com o tema ‘A força de um novo tempo’, o Espaço Cultural Tangará Mirim promove de 23 de janeiro a 01 de fevereiro o IX Encontro de Músicas e Danças do Mundo, em Imbassaí, na Bahia. O evento desta temporada foi ampliado para dois módulos, que podem ser realizados separadamente, e vai reunir mais de 50 professores e artistas de diferentes culturas, como membros da comunidade indígena Bayoroá, o antropólogo Faouzi Skali e o multi-instrumentista de música tradicional persa Abbas Jannessari para ministrar oficinas e palestras.

28 de maio de 2013

Anacã CIA de Dança estreia espetáculo no Teatro Geo


Centro de formação de bailarinos viabilizou espetáculo por meio de crowdfunding

Nos dias 04 e 05 de junho, o palco do Teatro Geo abrigará a estreia da ANACÃ COMPANHIA DE DANÇA, criada em 2012 por Ana Maria Diniz, Heloísa Gouvêa e Edy Wilson, com o objetivo de dar início a um projeto de formação e apoio de bailarinos no país. O espetáculo de estreia, batizado de Principiar, foi custeado por um sistema de crowdfunding. Foram arrecadados R$ 80 mil.

O espetáculo foi criado com os fundamentos do balé clássico e dança contemporânea. Quem assina a coreografia, figurino e iluminação do espetáculo é o coreógrafo e diretor artístico Edy Wilson, que trabalhou por anos no Grupo Raça.  “Principiar porque é o começo, tudo novo, o início”, comenta o diretor artístico. O termo também marca a estreia de muitos dos bailarinos em um grande palco.

O espetáculo envolve 12 bailarinos profissionais de diferentes partes do Brasil, todos selecionados durante uma audição que recebeu 250 inscritos em outubro de 2012. A companhia é formada por mais três professores, seis estagiários e 20 bolsistas em formação. A rotina de trabalho diário envolve aulas de dança jazz, dança contemporânea e balé clássico. O trabalho recebe também acompanhamento de fisioterapeutas, preparadores físicos e nutricionistas, que participam voluntariamente.

Serviço

Local: Teatro Geo – Rua Coropés 88, bairro de Pinheiros, São Paulo

Complexo Ohtake Cultural: altura do 201 da Faria Lima.

Horário: 21 horas

Data: 04 e 05 de junho de 2013

Ingresso: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)

17 de fevereiro de 2011

Grupo Divinadança apresenta duas coreografias no TD


A desumanização das relações como mote para Tempo Escasso

O TEATRO DE DANÇA (instituição da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e gerenciada pela Associação Paulista de Amigos da Arte – APAA) apresenta entre os dias 25 e 27 de fevereiro de 2011 os espetáculos Tempo Escasso e Dans Le Noir, duas coreografias concebidas pelo Grupo Divinadança, de São Paulo, contemplado no projeto Pares, Olhares sobre Um pelo PROAC 2010 – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura.

Com a direção da bailarina e coreógrafa Andrea Pivatto, o Divinadança nasceu no ano de 2007, com o objetivo de participar do projeto Curadores Associados no Teatro de Dança. A companhia de dança tem como meta ampliar o universo de seu repertório e dimensionar o alcance da sua busca através de seus diferentes coreógrafos. Além disso, o grupo percorre um caminho que tende a aproximar-se público e elenco, permitindo um diálogo entre as partes, elevando, desta forma, a dança a um contexto amplo de comunicação.

Tempo Escasso

Tempo Escasso é um espetáculo multimídia e abrange um conceito atual, a desumanização das relações. Baseado na obra Nada é impossível de mudar, de Bertold Brecht, o espetáculo trata do cotidiano das pessoas, da rotina diária que faz com que entremos em um ritmo frenético e individual, que nos distancia do outro e de nós mesmos cada vez mais rápido.

Dans Le Noir

Tendo como ponto de partida um assassinato, Dans Le Noir inspira-se na estética cinematográfica noir, em que a dicotomia entre luz e sombra está impregnada no seu desenvolvimento. Ambientado numa cidade imaginária, uma trama policialesca conduz o desenvolvimento da obra. Uma narrativa em “língua ininteligível” permeia as cenas, fazendo com que o espectador suponha situações e aluda a um contexto específico. Através de nuances coreográficas, Dans Le Noir mescla sutileza e virtuosismo, além de potencializar nos intérpretes a relação singular entre personagem e movimento.

Dias 25, 26 e 27 de fevereiro de 2011
Sexta às 21h, sábado às 20h e domingo às 18h, 70 minutos, livre, R$ 4,00 e R$ 2,00


Tempo Escasso e Dans Le Noir
Grupo Divinadança
Direção e Coreografia: Andrea Pivatto
Fichas Técnicas
DANS LE NOIR
Coreografia: James Nunes
Elenco: Alaércio Leite, Alexandre Nascimento, Antonio Marques (ou Maércio Maia), Bruna Barbosa, Claudia Riego, Natalia Yukie


TEMPO ESCASSO
Coreografia: Gleidson Vigne
Fotografia: Adilson Junior
Captação e edição de imagens: Willy Helm
Elenco: Alaércio Leite, Antonio Marques, Bruna Barbosa, Diego Mejia, Ghiba Santana, Helena Euzébio, Maércio Maia, Natalia Yukie
Professora convidada: Valéria Matos


TD – Teatro de Dança
Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo, SP, (Metrô República)
Telefone da bilheteria: 2189 2555 Informações: 2189 2557 Capacidade: 278 lugares
Bilheteria, abertura: Vendas para o dia do espetáculo - 4ª a domingo, a partir das 14h
Ar-condicionado e Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais
TD - Teatro de Dança - Secretaria de Estado da Cultura
APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte

14 de janeiro de 2011

Teatro de Dança comemora aniversário de São Paulo com aula baile de danças de salão


Aula Baile no palco do TD. Iniciantes e iniciados participam dançando e ainda acompanham espetáculo musical e perfomance de bailarinos

No dia 25 de janeiro de 2011, aniversário de 457 anos da cidade de São Paulo, o TEATRO DE DANÇA (instituição da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e gerenciada pela Associação Paulista de Amigos da Arte – APAA) comemora a data com uma grande aula baile de danças de salão. Sob o comando de Luciana Mayumi, Italo Rodrigues e a Cia de Dança Lu Mayumi, o principal objetivo da aula baile é unir várias tribos, como as do forró, samba rock, o samba, bolero e samba de gafieira, tendo como fio condutor a música ao vivo, representada pelo ecletismo do Trio Jogando Tango e Carlos Walker e Banda. O público alvo do baile são os dançarinos iniciantes e iniciados.

“Foi um trabalho imenso unir duas bandas com estilos tão peculiares para tocar música de salão. Mas o resultado ficou espetacular. Unir tantas tribos na mesma festa é importante em nome da variedade. Hoje os bailes estão bastante segmentados e esta é uma tentativa de uni-los em torno da mesma sonoridade”, pontua Luciana Mayumi. Ela explica que a primeira hora foi reservada para que os participantes possam aprender e praticar os detalhes dos movimentos relacionados aos ritmos de samba, tango e gafieria. Luciana Mayumi e sua companhia, no palco, darão todas as dicas importantes para a prática destes ritmos. Em um segundo momento o baile tem início com o Jogando Tango & Carlos Walker e Banda. Por último, uma apresentação de dança com a Cia de Dança Lu Mayumi acompanhada de música ao vivo.

Dia 25 de Janeiro de 2011 – Aniversário de São Paulo
Terça feira das 16h às 19h
3 horas, livre - Entrada franca

26 de novembro de 2010

Clássicos do Teatro e da Dança no TD


Nesta semana o Teatro de Dança (instituição da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e gerenciada pela Associação Paulista de Amigos da Arte – APAA) dá prosseguimento à sua programação especial de dezembro que reúne trabalhos desenvolvidos por alunos de escolas de dança de São Paulo durante o ano de 2010.

No dia 9 de dezembro, os alunos das Oficinas de Teatro Centro Cultural Aúthos Pagano fazem um resumo do repertório deste ano. Apresentam duas coreografias: Verdadeiros Enganos, adaptação de textos de Luiz Fernando Veríssimo e Ser (Shakespeare) ou Não Ser, cenas realizadas a partir de obras de William Shakespeare. A direção é de Juliana Liegel, atriz e bacharel em Artes Cênicas pela UNICAMP.

Entre os dias 11 e 12 de dezembro, os alunos da Especial Academia de Ballet mostram ao público a Suíte de Don Quixote e Divertissement. As coreografias estão sob a direção de Guivalde e Aracy de Almeida, respeitada mestra de dança, bailarina principal do Theatro Municipal de São Paulo em décadas passadas.

Serviço

Dia 9 de dezembro de 2010
Quinta-feira, 20h30, 60 minutos, livre, entrada franca
Mostra dos Alunos das Oficinas de Teatro Centro Cultural Aúthos Pagano
Verdadeiros Enganos e Ser (Shakespeare) ou Não ser
Direção: Juliana Liegel

Dias 11 e 12 dezembro de 2010
Sábado, 20h, domingo, 18h, 120 minutos, livre, R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Especial Academia de Ballet
Suíte de Don Quixote e Divertissement
Direção: Guivalde e Aracy de Almeida

TD – Teatro de Dança
Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo, SP, Brasil (Metrô República)
Telefone da bilheteria: 2189 2555 Informações: 2189 2557 Capacidade: 278 lugares
Estacionamento: R$ 15,00 com manobrista
Bilheteria, abertura: Vendas para o dia do espetáculo - 4ª a domingo, a partir das 14h
Ar-condicionado e Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais

24 de novembro de 2010

Rey Castro SP lança aula gratuita de zouk às quintas-feiras

No intervalo da banda Espírito Cigano, os dançarinos Wallace e Fernanda Giuzio ensinam alguns passos para os baladeiros arrasarem na pista

Atual sucesso entre os estilos latinos no Brasil, o zouk invade também o Rey Castro Cuban Bar às quintas-feiras. No intervalo da banda Espírito Cigano, a casa lança aulas com os profissionais Wallace e Fernanda Giuzio, com duração de aproximadamente 20 minutos. E o DJ Branca, residente da casa há 6 anos, incrementa o repertório com hits de zouk que vão embalar ainda mais a noite.

O zouk é uma dança em casal, com giros e movimentos de braços bastante expressivos, além de ter uma pitada de sensualidade, como na salsa.

Os irmãos Fernanda e Wallace Giuzio são dançarinos profissionais, conhecidos pelo estilo de aulas divertidas e envolventes. Ela é integrante da Conexión Caribe Cia de Dança e ele, especializado em Samba de Gafieira. Juntos, destacam a participação em apresentações de dança na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

O Rey Castro Cuban Bar é um bar temático que retrata uma construção colonial dos anos 50 de Havana-Vieja. Está localizado na rua Ministro Jesuíno Cardoso, 181, Vila Olímpia, em São Paulo. Mais informações pelo site www.reycastro.com.br e pelo telefone (11) 3842-5279. Cliente Camarada tem condições especiais e vantagens.

Serviço

Data: às quintas-feiras
Entrada: de R$18 a R$35
Pagamento: cheque / todos os cartões
Estacionamento com manobrista: R$15
Capacidade de público: 350 pessoas
Abertura da casa: 19h
Reservas: de segunda a sexta até às 18h / sábado das 12h às 18h (reservas válidas até às 21h30)
Classificação etária: 18 anos
Acesso para deficientes físicos
Área exclusiva para fumantes
Programa de fidelização “Camaradas”: preços e promoções especiais

18 de outubro de 2010

"O Japão está aqui?" em última apresentação dia 23 no Teatro da Cia Pessoal Faroeste

Premiado espetáculo de dança faz última apresentação “O Japão está aqui?” (2008) dia 23 de Outubro no teatro da Cia Pessoal do Faroeste. A performance de dança da Companhia Flutuante/Letícia Sekito faz parte da trilogia de solos na qual Letícia Sekito pesquisa a construção da imagem do Japão aqui no Brasil, ao mesmo tempo que aborda a sua relação autobiográfica com o universo cultural japonês. O solo dá a sequência aos espetáculos “Disseram que eu era japonesa” (2004 – CCBB) e “E eu disse:” (2007), Prêmio Rumos Dança Itaú Cultural.

A artista criou esta performance antes de ir pela primeira vez ao Japão, por isso, trabalhou com “um Japão imaginário, virtual, um tanto ficcional e lúdico”. Por outro lado, reconheceu que se aproxima do pensamento japonês através das práticas do Aikidô e do “Sokushin kokyu hô“ (Respiração pelas solas dos pés), da cultura pop, da literatura, do cinema, da internet e bem recentemente da língua japonesa.

A performance de dança foi criada especialmente para a exposição “Tokyogaqui”, a convite da curadora Christine Greiner, no contexto da comemoração ao Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, com apoio da Fundação Japão/São Paulo.

Solo de dança estreado em março de 2008, Exposição Tokyogaqui, SESC Avenida Paulista, São Paulo. Apresentações realizadas: Junho/2008 - Oficina Cultural Grande Otelo, Sorocaba; SESC Ribeirão Preto; Exposição Nipon - Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro. Setembro- Exposição Tokyogaqui - SESC Campinas e Teatro Usicultura/Usiminas, Ipatinga/MG, SESC Pompéia, no evento “Corpo Instalação 2008”, Festival PLAYREC de video dança, em Recife.

Apresentações programadas para 2010 no âmbito do projeto “Circulação e difusão da Companhia Flutuante”, prêmio Klauss Vianna 2009, nas cidades de Ipatinga/MG, Goiânia/GO, Manaus/AM e São Paulo/SP.

Serviço

Data: dia 23 de outubro, sábado
Horário: 17h
Censura Livre
Preço: contribuição voluntária
Local: teatro da Cia Pessoal do Faroeste
Alameda Cleveland, 677 - Campos Elíseos CEP: 01018-000 | São Paulo - SP
http://www.pessoaldofaroeste.com.br/sede.html
Telefone (11) 3362 8883

26 de agosto de 2010

Samba Rock Day agita feriado da Independência


No feriado prolongado da Independência (6 e 7 de setembro), os amantes de dança e da cultura do samba rock terão diversão garantida no Samba Rock Day. O evento que terá abertura ás 16h, com festival cultural gratuito no Clube Piratininga, na região central, receberá milhares de pessoas e está organizado em duas grandes etapas. A abertura na segunda-feira (6/set), que será marcada por apresentações, pequenas aulas gratuitas, shows, exposições, sorteios de pacotes para aulas, entre outras atrações. E o segundo dia, terça-feira (7/set), onde os interessados poderão ter aulas pagas, com pacotes_promocionais. Todas as aulas ocorrerão na escola Solum Escola de Dança, localizada na Rua da Consolação, 1.741, altura do Cemitério da Consolação.

Cinco bandas devem agitar o público. O Samba Rock Day, em seu segundo ano, também receberá vários dançarinos famosos como Moskito – que implantou diversas metodologias do samba rock nas academias paulistas, Will BlackMan da Solum, Claudio Nostalgia, Edson Modesto que foi par e professor da modelo e atriz Letícia Birkheuer na Dança dos Famosos, entre outros nomes consagrados da atualidade.

Para entrar no clima, os participantes poderão comprar acessórios, artigos, roupas e também contar com uma equipe de cabeleireiros especializada para compor o “look black”. O som também será embalado pelo Dj Tony Hits, uma das figuras mais importantes na história do samba rock, que por muitos anos tem balançado os internautas com sua programação na Rádio UOL.

A entrada para o Festival Cultural no dia 06/Setembro é gratuita, e as inscrições das aulas no dia 07 já podem ser realizadas pessoalmente na Solum Escola de Dança, por telefone ou através do site www.sambarockday.com.br

Serviço:

Clube Piratininga (local do Festival Cultural): Alameda Barros, 376 - Higienópolis - São Paulo.

Solum Escola de Dança (local das aulas): Rua da Consolação, 1.741 / 1.681 - (11) 3715-4704 / contato@sambarockday.com.br

2 de agosto de 2010

Dança-teatro Banksy Bang estreia dia 10 no Sesc Pinheiros


O espetáculo de dança-teatro Banksy Bang, da Cia. Perversos Polimorfos, estreia no Sesc Pinheiros em 10 de agosto. Serão dez sessões, terças e quartas, 21h, até 8 de setembro, no subsolo (no feriado 7/9 a sessão será 17h).

A concepção é de Ricardo Gali, que divide a direção com a bailarina e atriz Nathalia Catharina. Ao lado de Jerônimo Bittencourt, os dois vivenciam uma dramaturgia coreográfica inspirada em grafites do inglês Banksy, na obra Hamletmaschine, do dramaturgo Heiner Muller, e no Terrorismo Poético de Hakim Bey.


Nesta dança-teatro, para compor os personagens, os intérpretes buscam referências no clown, artes plásticas, fotografia e (claro) teatro. A coreografia coletiva foi criada enquanto o texto era dito pelos três. “Tentamos reproduzir no corpo as qualidades presentes na narrativa. Em alguns momentos, como o solo de Ofélia, trabalhamos a dança inspirada na sequência de imagens do texto”, diz Nathalia Catharina.

Ficha técnica


Concepção Ricardo Gali
Direção Nathalia Catharina e Ricardo Gali
Assistência de direção: Débora Sperl
Intérpretes Jerônimo Bittencourt, Nathalia Catharina e Ricardo Gali
Iluminação: Aline Santini
Trilha sonora e sonoplastia: Dan Nakagawa
Figurino: Joana Salles
Colaboração cênica: Clara Rubim
Produção: Cau Fonseca
Fotografia, videomaker e edição de vídeo: Fábio Furtado


Serviço:

Temporada: 10 de agosto a 8 de setembro. Terças e quartas
Horário: 21h. No feriado de 7 de setembro, a apresentação será às 17h.
Local: Sesc Pinheiros, 4º subsolo. Rua Paes Leme, 195, Pinheiros. Estação Faria Lima (linha amarela) Classificação etária: não recomendado para menores de 10 anos
Ingressos: R$10 (inteira); R$5 (usuário matriculado no Sesc e dependentes); e R$2,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes).
Os ingressos podem ser comprados em qualquer unidade. Horário de funcionamento da bilheteria do Sesc Pinheiros: terça a sexta, 10h às 21h30, sábados, das 10h às 21h30, domingos e feriados, 10h às 18h30.

Informações:

Tel.: 0800 118220
www.sescsp.org.br

26 de julho de 2010

Dança milenar do Oriente agita balada na Zona Norte


O Alibabar Bar e Chopperia, localizado na Zona Norte de São Paulo, investe em uma dança diferente para atrair o público. Todas às quartas-feiras acontece A Noite Dabke. A palavra quer dizer “bater o pé no chão”. A dança é praticada no Líbano, Síria, Jordânia e Palestina. Por aqui, ela ganhou o bom e velho jeitinho brasileiro, misturando várias tradições nacionais, desde a Dança Gaúcha até a menos conhecida Caranguejo, uma dança de roda do século dezenove onde a troca de pares é fundamental.

Em fila ou em uma imensa roda, eles e elas dão as mãos e começam a criar passos com batidas dos pés, giros e pulos. Os mais hábeis arriscam até movimentos mais intensos, como pequenas viradas. O homem pode sair da roda, por exemplo, e dançar ao lado da mulher, fazendo passos sozinho ou também desafiando as outras pessoas, como nas tradicionais rodinhas de dança. A diferença é que aqui a melodia é embalada pela música típica árabe, com a vantagem da maioria das pessoas não conhecerem a dança, o que favorece a entrega total na dança, já que cada um vai criar os seus próprios passos. A única coisa que é obrigatória é se divertir.

Serviço:

Noite Dabke
Todas as quartas-feiras a partir das 22h
Homem: R$ 20
Mulher: VIP
Alibabar - Zona Norte - Av. Luis Dumont Villares, 697 – Jd. São Paulo

Informações:
Tel.: (11) 3845-1455/ 2281-8574
www.alibabar.com.br

26 de junho de 2010

Les Ballets Trockadero de Monte Carlo

De volta ao país a companhia que seduziu o mundo com o ballet que você nunca viu – e nunca vai ver, de forma igual: um grupo de bailarinas “diferentes” que junta no palco técnica perfeita e muito bom humor


“Elas” dançam nas pontas dos pés – mas as sapatilhas são tamanhos acima dos 40. De perfil, revelam pomos de adão e um semblante um tanto diferente para quem se acostumou as delicadas bailarinas. Tem pelos debaixo dos braços, são mais altas que o normal, deixam a desejar no quesito “beleza”. Mas a maquiagem é impecável, e a técnica idem. O repertório é de primeira, mas para o público resta a surpresa de assistir aos clássicos da dança de uma forma nunca vista antes.

O nome é “Les Ballets Trockadero de Monte Carlo”. Há 36 anos a companhia surgiu para dar um sopro de humor no cenário da dança. No elenco apenas homens, no repertório as principais peças do repertório clássico mundial, e a proposta: fazer graça com a arte do balé mas mostrando, ao mesmo tempo, uma técnica impecável. O resultado? Um sucesso. Em sua história a companhia se firmou no cenário artístico internacional, apresentando-se em festivais e turnês por todo o mundo, conquistando prêmios e o respeito da crítica especializada internacional.

E o mais importante: levando sempre o público a gargalhadas incontroláveis. No palco os integrantes do Trockadero brincam – literalmente - com a dança. Exageram os passos, derrubam-se uns aos outros, demonstram inveja, brigam por um lugar melhor na ribalta e usam e abusam dos “clichês” da dança clássica.

Três anos após sua última passagem pelo país, a companhia está de volta para apresentações no Rio de Janeiro (24 de agosto, Theatro Municipal) e em São Paulo (27 e 28 de agosto, no Teatro Bradesco).

No programa “ChopEniana” (também conhecida como Lês Sylphides), “La Vivandiere” e um dos clássicos do Kirov, “As Bodas de Raymonda”, com coreografia do célebre Marius Petipa.


RIO DE JANEIRO
Dia: 24 de agosto (terça-feira)
Local: Theatro Municipal Rio de Janeiro
Endereço: Praça Floriano s/n. Centro
Hora: 20h
Vendas:
Theatro Municipal - Praça Floriano
Tel: (21) 2262-3501
Disque Dell`Arte: 32358545 / 2568 8742
http://www.theatromunicipal.rj.gov.br/
Abertura vendas: 01 de julho
Censura: Livre

SÃO PAULO
Dias:
27 e 28 de agosto (sexta-feira e sábado)
Local: Teatro Bradesco
Endereço: Piso Perdizes do Bourbon Shopping São Paulo
Rua Turiassu, 2100, 3º piso - Pompéia
Hora: 21h
Vendas:
4002-0019 (Disque DellArte Nacional)
11 2063-5087 (Cia dos Ingressos)
4003-1212 (Ingresso Rápido)
http://www.ingressorapido.com.br/
http://www.teatrobradesco.com.br/
Abertura vendas: (a definir)
Censura: Livre


15 de junho de 2010

Caleidos Cia Dança faz últimas apresentações de "Quatro Cantos"

Dividindo o palco com o público, as quatro intérpretes da cia. utilizam o cenário de uma casa para refletir sobre isolamento e individualismo nas relações. Espectador pode escolher as cenas que deseja assistir. A entrada é gratuita.


O Espaço Cariris recebe entre os dias 17 e 19 de junho as últimas apresentações do espetáculo “Quatro Cantos”, novo trabalho do Caleidos Cia Dança que estreou no dia 27 de maio na Galeria Olido. Contemplado pelo 6º edital do Programa de Fomento à Dança do Município de São Paulo, a montagem retoma a linha de pesquisa cênica interativa da cia e traz novamente o público para o palco.

Os diretores Isabel Marques e Fábio Brazil criaram um cenário onde o espectador tem a oportunidade de circular pelo espaço e escolher a cena que irá assistir, porém em momento algum poderá ver todos os espaços ao mesmo tempo, criando assim seu próprio espetáculo: visto parcialmente, porém compreendido no todo. No palco, quatro mulheres em quatro momentos simultâneos vivenciam o incômodo das experiências cada vez mais individualizadas nas grandes cidades.

Os detalhes presentes em cada um dos cômodos enriquecem as cenas, como a garrafa térmica com café ainda por beber, a louça suja na pia. O público também é surpreendido pelos demais integrantes da cia. que se infiltram entre a platéia e em determinados momentos passam a fazer parte da cena. Tudo pensado para levar ao público a máxima realidade, fazendo-o se identificar com as situações vivenciadas pelos personagens.

A proposta dos diretores é convidar o público a refletir sobre a importância de relações mais humanizadas, onde somente no contato com o outro é possível o encontro consigo mesmo. O espetáculo busca demonstrar que o isolamento traz a padronização, ao passo que a convivência e a ocupação do espaço público permite a diferenciação que não isola e o reconhecimento do outro e de si mesmo.

A Cia.

O Caleidos Cia. de Dança é reconhecido por suas propostas inovadoras que reafirmam a importância do acabamento, ou seja, do produto artístico final, porém sem cair no tradicionalismo ou na pieguice. A cia. foi criada em 1996 como um grupo de pesquisa na Unicamp. Dois anos depois, o Caleidos se transformava em um grupo independente de dança contemporânea. O ano que vem, completa quinze anos de existência e trabalho contínuo na área de arte e de educação.

O Caleidos rompeu de forma artística, responsável e educacional com a divisão palco-platéia, criando o conceito de “proposição-cênica” e abandonando a diferença entre a atuação do artista e do professor, renovando a produção de dança e ensino no Brasil

A Cia. atua em torno de alguns princípios, entre eles: exploração da linguagem da dança por meio dos estudos de Laban, interatividade como valor estético e educativo, comunicabilidade e diálogo com o público, clareza dramatúrgica, relação da dança com o contexto sócio-afetivo-cultural do público e do entorno.

Prêmios Recebidos

- Bolsos Vitae de Artes – Fundação Vitae
Projeto Terpsicore – espetáculo Corpo Dócil – Isabel Marques, em 1993
- Prêmio da Secretaria Municipal de Cultura De São Paulo:
Circulação do espetáculo Silêncio, de Fábio Brazil e Isabel Marques, em 2003/04.
- Programa Municipal de Fomento à Dança do Município de São Paulo 2ª. Edição:
Projeto Coreológicas – montagem, produção e circulação do espetáculo Coreológicas V, direção de Isabel Marques, circulação do espetáculo, curso de formação de professores, I Seminário Coreológicas, 2007/08.
- Programa De Ação Cultural Do Estado De São Paulo:
Montagem, produção e circulação do espetáculo Ares Familiares, co-direção de Isabel Marques e Fábio Brazil, em 2008/2009.
- Programa Municipal de Fomento à Dança do Município de São Paulo 6ª. edição:
Projeto Retratos – montagem, produção e circulação dos espetáculos Coreológicas-Ludus e Quatro Cantos, direção de Isabel Marques e Fábio Brazil; circulação dos espetáculos, curso de formação de professores, II Seminário Coreológicas, eventos Diálogos com quem faz Arte, 2009/10.

Serviço:

O que: Quatro Cantos
Quando: De 17 à 19 de junho, às 21h
Onde: Espaço Cariris – Rua dos Cariris, 48 - Pinheiros – São Paulo
Quanto: Entrada gratuita
Classificação: 14 anos
Capacidade: 40 pessoas
Duração: 50 minutos
Informações: 3811-9681


5 de junho de 2010

In the land of P…

Pickled pleasures
Poetic purgatory
Philosophical popcorn
Psychological picnics
Pointless paradise
Public privacy
Perpetual past
Pure pesticide
Peaceful paranoia
Particularities


Estreia dia 11 de junho de 2010, no Teatro Mars, em São Paulo, a coreografia In The Land Of P…, da bailarina e coreografa italiana Teresa Ranieri. O espetáculo faz parte do projeto Vagar e Navegar, do Núcleo Mars de Dança, contemplado com o Prêmio Klauss Vianna da Funarte/ 2009, composto também pela coreografia Divagar, com as bailarinas Célia Gouvêa, Mara Borba, Luciana Porta e Sônia Mota, com direção desta última. O projeto é a reunião de um time de artistas e mestres que fizeram parte da história da dança contemporânea de São Paulo.

Os dois espetáculos (Divagar e In The Land of P...) formam um díptico, um conjunto de duas performances sobre a essência do tempo e os sentidos da dor e do prazer, o questionamento da maturidade do corpo refletido no tempo atual. A temporada de Divagar será entre os dias 25 de maio e 6 de junho de 2010, no Teatro Mars.

As bailarinas que assinam o projeto Vagar e Navegar tem trajetórias singulares na dança brasileira, com carreiras iniciadas nos anos 70/80. Sônia Mota, a diretora do projeto, fala sobre o mote de investigação do grupo: “... depois de 45 anos de ininterruptas atividades artísticas, me permito reduzir a velocidade, selecionar o que me é mais fundamental e me aprofundar nas escolhas feitas. Quero beber o chá, comer o arroz, vestir a roupa e dançar com a calma das tartarugas.

Sobre In The Land of P..., diz Ranieri: “A dor física, emocional ou mental, quando invade o nosso ser, emerge como protagonista, como o centro da nossa existência. O que mais me estimula como artista, neste tópico nada fácil, são as questões sobre como o nosso corpo elabora experiências emocionais negativas, e se os artistas têm que sofrer para criar autenticidade na propria arte, e ainda, até onde podem os artistas exercitar uma forma de "pornografia da alma" e torná-la um ‘entertainment vendável... ’. Espero neste projeto reproduzir de forma honesta, perspicaz e, por vezes, satírica, a minha observação do estranho universo do sofrimento”.

Nucleo Mars de Dança

Este projeto Vagar e Navegar teve origem no Núcleo Mars de Dança, que visa devolver à cidade um espaço destinado ao estudo e às performances de dança. Com arquitetura premiada, o Teatro Mars foi o primeiro teatro modular em São Paulo, e abrigou montagens de vanguarda na recente história da cena paulistana. A ele foi incorporado o Núcleo Mars de Dança, coordenado por Sonia Mota, Mara Borba, Clarisse Abujamra, Célia Gouvêa, Lilia Shaw, Susana Yamauchi e outros, que por meio do apoio das leis de incentivo, pretende desenvolver um centro de pesquisa e criação.

Um dos pontos principais deste Núcleo é o fomento do intercâmbio entre grupos e espaços de dança do Brasil, Europa, EUA e Japão, como a Escola Superior de Dança de Lisboa e os espaços Alte Feurwache de Colônia e o Theater im Ballsaal, em Bonn. Desde 2007, o Teatro Mars oferece oficinas e performances com artistas sediados nestes países.

O convite à Teresa Ranieri pretende criar uma ponte entre as culturas do Brasil e da Itália/Alemanha, para experimentar na prática do palco e da criação cênica um diálogo complementar e enriquecedor.

Teresa Ranieri

Nascida em Bari, Itália, estudou balé em sua cidade natal e em Nápoles. Formou-se em Cannes na França. Como bailarina trabalha desde 1985 na Alemanha como solista em varios teatros alemães. Como coreógrafa trabalhou no Teatro de Nordhausen, no Teatro de Erfurt, no Teatro Tanzhaus de Düsseldorf, no “Sommertanz” em Wuppertal, para “X.IDA” em Linz (Austria), para o Theater Vorpommern em Greifswald. Participou do projeto “Colina-Collaboration in Arts”, organizado por Rui Horta em Montemor-o-Novo (Portugal) onde estreou em setembro de 2008 o solo “In the land of P...”. Com este projeto ela participou de festivais na Alemanha e na Áustria.

Como professora de ballet e dança contemporânea trabalha nos Países Europeus, na Palestina, Japão e Coréia. Seu trabalho combina as suas várias experiências da dança (desde o ballet à dança contemporânea) com princípios de técnicas de movimento como Gyrotonic Expansion System e Gyrokinesis, dos quais é professora certificada.

Ganhou em Stuttgart (Alemanha) o terceiro prémio no “8 Tanz Solo Festival” pela coreografia do solo “Libero Arbitrio”.


Serviço:

O que: In te Land Of P...
Quando: Disas 11 e 12 de junho - às21h
Onde: Teatro Mars - Rua João Passalacqua, 80 - Bela Vista - São Paulo
Capacidade: 200 lugares

Duração: 50 minutos

Classificação: 14 anos
Informações: (11) 3105 8950/7221

31 de maio de 2010

Sapateia São Paulo - Sexta edição do evento conta com a presença do sapateador norte-americano Aaron Tolson


O VI SAPATEIA SÃO PAULO acontecerá nos dias 19 e 20 de junho de 2010 no Parque Ibirapuera e reunirá sapateadores e dançarinos de várias cidades paulistas: São José dos Campos, Sorocaba, Piracicaba, Campinas, Santos, Jundiaí e São Paulo. O Sapateia terá a participação da Escola de Samba Mocidade Alegre, campeã do carnaval paulista de 2009 e vice-campeã em 2010.

A abertura do evento terá as coreografias do norte-americano Aaron Tolson, um dos principais responsáveis pela difusão da história da comunidade negra no universo do sapateado pelo mundo. Um dos maiores nomes do cenário internacional, Tolson foi co-diretor e coreógrafo do Imagine TAP, musical de grande orçamento e sucesso de público e crítica apresentado em Chicago, EUA.

No primeiro dia (19) o Sapateia divide-se em duas sessões: o Sapateadança, um cortejo pelo Parque do Ibirapuera feito pelos sapateadores presentes e a Escola de Samba Mocidade Alegre. Juntos vão percorrer os caminhos do parque sambando e sapateando. Em seguida tem início a TAP Mostra, uma exibição de trabalhos coreográficos para o público e especialistas em sapateado.

O segundo dia do evento (20) concentra-se na sala de aula da Só Dança, localizado na Rua Augusta,2672 no Jardim Paulista, São Paulo. O destaque é o workshop do bailarino Aaron Tolson, além das participações de importantes nomes da dança nacional, como Christiane Matallo, Gisela Martins, Patricia Stellet e Luizz Baldijão, que passarão um pouco de suas experiências e vivências no universo da dança para dançarinos, sapateadores e interessados por intermédio de workshops.

O Sapateia espera receber 500 sapateadores de todo o Brasil e desde sua primeira edição vem somando participantes a cada ano. Segundo a organizadora do Sapateia São Paulo, Christiane Matallo “esta ação é para demonstrar que o sapateado tem um grande poder de adaptação cultural e apelo popular. Hoje no Brasil, a missão do Sapateia São Paulo é difundir e preservar a história do sapateado vindo dos negros ao mesmo tempo ressaltar a identidade brasileira”.

O SAPATEIA SÃO PAULO faz parte do calendário oficial do município, por meio da lei 14.347/07, aprovada em 2007 e celebra o Dia Internacional do Sapateado, comemorado, no dia 25 de maio, aniversário de uma das maiores expressões do sapateado mundial, o norte-americano Bill Bojangles, um sapateador negro que brilhou ao lado de estrelas da dança internacional, mas foi preterido por Hollywood em tempos de segregação racial nos EUA.



Serviço:

O que: VI Sapateia São Paulo - Sapateadança (às 11h.) e TAP Mostra (às 12h.)

Quando: Sábado, 19 de junho
Onde: Parque Ibirapuera - Av.Pdro Álvares Cabral - Moema, São Paulo - Portão 3

Quanto: Entrada Franca
Informações: (11) 7688-7867


O que: Sala de aula da Só Dança - Workshops
Quando: 20 de junho de 2010

Onde: Rua Augusta, 2672, Jardim Paulista, São Paulo
Informações: (11) 7688-7867 (11) 3064-7773

Site: www.christiane-matallo.com.br (link Sapateia SP)

Preços

R$ 60,00 - Por aula com qualquer professor brasileiro
R$ 90,00 - Aula com Aaron Tolson
R$ 200,00 - Pacote com 5 aulas

Horários

08h30 às 09h30 - Gisela Martins (BRA)
09h40 às 10h40 - Christiane Matallo (BRA)
10h50 às 11h50 - Patricia Stellet (BRA)
Intervalo: 30 Minutos
12h20 às 13h20 - Luizz Baldijão (BRA)
13h30 às 14h45 - Aaron Tolson (USA)

25 de maio de 2010

KELLY MOORE EM TEMPORADA LATINA NO REY CASTRO SP


De 5 a 26 de junho, cantora comanda shows de pop latino aos sábados

        A partir do dia 5, até 26 de junho, o agito dos sábados de pop latino do Rey Castro Cuban Bar, em São Paulo, fica sob o comando da cantora Kelly Moore.
        Kelly Moore, que iniciou sua carreira artística com apenas 11 anos de idade, conquistou reconhecimento nacional após participar de um programa de caça-talentos da TV Bandeirantes, em 2002, aos 24. De lá para cá, gravou o CD “Quanto Mais Quente, Melhor”, que esgotou na primeira semana de vendas, e conquistou clubes de fãs pelo Brasil e em países como Japão e EUA.
        Para os shows, a cantora traz um repertório de sucessos de artistas consagrados como Maná, Shakira, Juanes e Alejandro Sanz.  
        O Rey Castro Cuban Bar é um bar temático, que retrata uma construção colonial dos anos 50 de Havana-Vieja. Está localizado na rua Ministro Jesuíno Cardoso, 181, Vila Olímpia, em São Paulo. Mais informações pelo site www.reycastro.com.br e pelo telefone (11) 3842-5279.
       
Data: sábados – de 5 a 26 de junho
Entrada: de R$30 a R$50
Pagamento: cheque / todos os cartões
Estacionamento com manobrista: R$15
Capacidade de público: 350 pessoas
Horário do show: 23h30
Reservas: de segunda a sexta até às 18h / sábado das 12h às 18h (reservas válidas até às 21h30)
Acesso para deficientes físicos
Área exclusiva para fumantes
Programa de fidelização “Camaradas”: preços e promoções especiais

24 de maio de 2010

Caleidos Cia. de Dança estréia “Quatro Cantos” em SP


Em temporada de 27 de maio a 06 de junho na Galeria Olido, o espetáculo da cia. aborda a padronização e o isolamento nas convivências urbanas.
Quatro mulheres flagradas em quatro momentos simultâneos vivenciam o incômodo das experiências cada vez mais individualizadas nas grandes cidades. Neste contexto de isolamento que se desenvolve o espetáculo “Quatro Cantos”, novo trabalho do Caleidos Cia. de Dança que estréia no próximo dia 27, às 20h, na Galeria Olido.
Contemplado pelo 6º edital do Programa de Fomento à Dança do Município de São Paulo, o espetáculo é um convite à reflexão sobre a importância de relações mais humanizadas, onde somente no contato com o outro é possível o encontro consigo mesmo. A proposta dos diretores Isabel Marques e Fábio Brazil é discutir que o isolamento só traz a padronização, ao passo que a convivência e a ocupação do espaço público permite a diferenciação que não isola e o reconhecimento do outro e de si mesmo.
Em “Quatro Cantos”, a cia. dá continuidade a sua linha de pesquisa cênica interativa e traz novamente o público para o palco. Em um cenário que explora os quatro cantos de uma casa – banheiro, sala, quarto, e cozinha – o espectador tem a oportunidade de escolher a cena que irá assistir, porém em momento algum poderá ver todos os espaços ao mesmo tempo, criando assim seu próprio espetáculo: visto parcialmente, porém compreendido no todo.

Serviço:
Estréia
Quatro Cantos – Dia 27 de Maio, às 20h
Local: Galeria Olido – Sala Paissandu - Avenida São João, 473 – São Paulo
Ingressos: Entrada Gratuita
Duração: 50 minutos
Classificação: 14 anos
Lotação: 50 pessoas

Temporada I
Quatro Cantos - De 27 de maio a 06 de junho
Quinta à Sábado: às 20h / Domingo: às 19h
Local: Galeria Olido – Sala Paissandu - Avenida São João, 473 – São Paulo
Ingressos: Entrada Gratuita
Duração: 50 minutos
Classificação: 14 anos
Lotação: 50 pessoas

2 de maio de 2010

VILA MADALENA 14/05 DANÇA O JAPÃO ESTÁ AQUI


A performance de dança “O Japão está aqui?” será apresentada na Sala Crisantempo, de 14 a 16 de maio, em 4 sessões.

Criada em 2008 pela Companhia Flutuante/Letícia Sekito “O Japão está aqui?” faz parte de uma trilogia de solos na qual Sekito pesquisa a construção da imagem do Japão no Brasil, ao mesmo tempo que aborda a sua relação autobiográfica com o universo cultural japonês.

A performance de dança foi criada especialmente para a exposição “Tokyogaqui”, a convite da curadora Christine Greiner, no contexto da comemoração ao Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, com apoio da Fundação Japão/São Paulo.

No domingo, dia 16, às 18h, será exibida a mostra de vídeo “Corpo em Movimento”, que retrata o o repertório da Companhia, realizada pela vídeo artista Kika Nicolela. Serão exibidos “A/través” (2003), “Flux” (2004) e “Disseram que eu era japonesa” (2004), com mediação da performer, mídia artista e produtora Cynthia Domenico.

Também no domingo, após o encerramento da sessão, será promovido um bate papo entre o público
e os integrantes da Companhia Flutuante.

“O Japão está aqui?” 
Concepção, criação e performance: Letícia Sekito
De 14 a 16 de maio
Horários:
Sexta espetáculo às 20h30
Sábado: 2 sessões às 17h e 19h
Domingo : diferentes atividades
18h: Mostra de vídeo “Corpo em Movimento”
19h: espetáculo com conversa com publico ao final.
Censura Livre
Duração: 35 minutos
Preço: R$ 10,00 (R$ 5,00 meia)
Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo
Local: Sala Crisantempo
Rua Fidalga, 521 – Vila Madalena
Tel: 3819.2287
www.salacrisantempo.com.br

6 de abril de 2010

15/04 DANÇA: COMPANHIA FLUTUANTE APRESENTA NO CCSP O ESPETÁCULO" E EU DISSE"


“E eu disse:”, contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2009 do Ministério da Cultura, faz 4 apresentações em São Paulo.

Com criação e interpretação de Letícia Sekito, o solo “E Eu Disse:” , de 2007, continua a pesquisa sobre a relação entre corpo e cultura, iniciada com o solo "Disseram que eu era japonesa" e adentra no terreno escorregadio e controverso sobre as possibilidades de reconstruir e reinventar identidades transitórias no corpo. O espetáculo integra a trilogia composta por "Disseram que eu era japonesa" (CCBB-2004) e “O Japão está aqui?” (Exposição Tokyogaqui 2008).

As apresentações estão integradas no projeto de "Circulação e Difusão de atividades da Companhia Flutuante, nas regiões norte, centro-oeste e sudeste", contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss
Vianna 2009 do Ministério da Cultura.

O espetáculo foi desenvolvido com subsídios do programa Rumos Itaú Cultural Dança 2006/2007 e apoio cultural da Fundação Japão. Foi estreado em março de 2007 e apresentado no “Festival de Artes da FAP 2007” - Curitiba, “Festival 1, 2 na Dança” – Belo Horizonte, no “Festival Internacional da Nova Dança 2007” – São Paulo e “III Interação e Conectividade 2009”, Dimenti –Salvador. Ganhador do Prêmio ProAC 2008 da Secretaria de Estado de Cultura de São Paulo, para circulação em 8 cidades do interior paulista, co –realização SESC SP e apoio cultural da Fundação Japão/São Paulo.

“E eu disse:”
Espetáculo de dança solo
Data: de 15 a 18 de abril de 2010
Horário: de quinta a sábado às 21h e domingo às 20h
Duração: 50 minutos
Entrada Franca
Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo
Recomendável para maiores de 10 anos.
Local: Sala Paulo Emílio do Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1.000 - Tel: 3397.4002

23 de março de 2010

15/04 DANÇA: COMPANHIA FLUTUANTE APRESENTA NO CCSP O ESPETÁCULO" E EU DISSE"


De 15 a 18 de abril no Centro Cultural São Paulo

“E eu disse:”, contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2009
do Ministério da Cultura, faz 4 apresentações em São Paulo.
Com criação  e interpretação de Letícia Sekito,
o solo “E Eu Disse:” , de 2007, continua a pesquisa sobre a  relação entre
 corpo e cultura, iniciada com o solo "Disseram que eu era  japonesa"
e adentra no terreno escorregadio e controverso  
sobre as possibilidades de reconstruir e reinventar identidades
  transitórias no corpo.  O espetáculo  integra a trilogia composta por
 "Disseram que eu  era japonesa" (CCBB-2004)
e “O Japão está aqui?” (Exposição Tokyogaqui 2008).

As apresentações estão integradas no projeto de "Circulação e Difusão de  atividades da Companhia Flutuante, nas regiões norte, centro-oeste e   sudeste", contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss
Vianna 2009 do Ministério da Cultura.
O espetáculo foi desenvolvido com subsídios do programa Rumos Itaú   Cultural Dança 2006/2007 e apoio cultural da Fundação Japão .
Foi   estreado em março de 2007 e apresentado no
 “Festival de Artes da FAP   2007” - Curitiba, “Festival 1, 2 na Dança” –
Belo Horizonte, no  “Festival Internacional da Nova Dança 2007” –
São Paulo e “III Interação e Conectividade 2009”,
Dimenti –Salvador. Ganhador do  Prêmio ProAC 2008 da
Secretaria de Estado de Cultura de São Paulo, 
para circulação em 8 cidades do interior paulista, co –realização SESC SP
 e apoio cultural da Fundação Japão/São Paulo.

“E eu disse:”
Espetáculo de dança solo
Data: de 15 a 18 de abril de 2010
Horário: de quinta a sábado às 21h e domingo às 20h
Duração: 50 minutos
Entrada Franca
Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo
Recomendável para maiores de 10 anos.
Local: Sala Paulo Emílio do Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1.000 - Tel: 3397.4002


Ultima Postagem

Estrutura voltada para as crianças tem diversas brincadeiras e atrações

Jurema Águas Quentes se prepara para receber turistas nas férias de julho O Jurema Águas Quentes preparou programações imperdíveis para as c...